Dicas para criar um site

Consiga mais assinantes para sua newsletter

Publicado por Gustavo Straube em 19/11/2015 às 10h56

newsletter

A velha e boa newsletter é um dos métodos mais antigos de marketing online. E, ao contrário do que muitos pensam, ainda é uma das ações mais eficazes. Isso porque é um contato direto e pessoal com o cliente e tem lugar garantido na caixa de entrada de e-mails dos assinantes. E a newsletter pode ser ainda mais efetiva se tiver conteúdos relevantes para seu público.

Muitas pessoas que começam a trabalhar com newsletter dedicam seus esforços para produzir e-mails de qualidade, porém esquecem de outro aspecto muito importante: a administração de uma mailing list de sucesso. Mas o que queremos dizer com uma mailing list de sucesso? Simples. Aumentar a taxa de assinantes segmentados para expandir o alcance do seu marketing.

Convencer novas pessoas para que se inscrevam na sua lista de e-mails não é tão simples quanto parece. Mas existem algumas dicas que podem ajudar muito nessa construção de uma mailing list mais robusta.

newsletterInscrição Simples

Uma inscrição simples significa que mais pessoas vão se cadastrar. Portanto dê atenção para esse quesito e inclua uma opção de cadastro em um lugar de destaque em seu site. Dê preferência para os botões, os famosos Call-To-Action (Chamada para atenção) na própria homepage e em páginas secundárias 

Um ótimo opção também é incluir uma página específica de cadastro com um link no Menu do seu site. Não se esqueça que o cadastro deve ser o mais simples possível.

Compartilhar é tudo

Conteúdo relevante é o que mais atrai a atenção dos leitores. Então se suas newsletters tiverem um ótimo conteúdo a chance de compartilhamento será muito grande. Informações valiosas, dados estatísticos e vídeos virais são alguns dos conteúdos que costumam chamar muito a atenção dos assinantes. Ofertas, descontos e brindes também são compartilhados frequentemente.

Lembre-se o compartilhamento é fundamental para que seu marketing tenha um alcance maior e atraia novos assinantes para sua newsletter.

Promova Sua Newsletter

newsletterConte para todo mundo o poder de sua newsletter. Compartilhe em perfis de redes sociais, pessoais e profissionais, e chame todos que tiverem interesse em participar. Fale sobre os temas recentes publicados na newsletter e consiga assim convencer quem ainda não se inscreveu.

Até é possível adicionar um Call-To-Action em sua assinatura de e-mail convocando todos a participarem da lista. Adicione também o link para o formulário de inscrição. Isso pode ajudar muito na divulgação.

Crie um clube de benefícios

Faça com que os assinantes tenham a sensação de estar participando de um clube exclusivo, uma lista VIP. E que essa lista VIP traz benefícios especiais. Esses benefícios podem ser informações adicionais, códigos de desconto, convites para eventos, participação em sorteios e qualquer outro que possa ser válido e atrativo para o assinante. Sempre mencione esses benefícios para conseguir mais assinantes 

Quer saber mais dicas sobre empreendedorismo e marketing digital? Continue seguindo o Blog SitepX e aprenda como criar um site de sucesso.

 

 

 

Compartilhar

Comunicação Assíncrona: o jeito certo de falar na internet

Publicado por Júlio Rocha em 13/11/2015 às 14h30

comunicação

Falar que há um “jeito certo” de fazer qualquer coisa pode fazer com que alguns torçam o nariz. “Falo do jeito que eu quiser!”, alguns podem pensar. E, tudo bem, estão no seu direito. Mas ao fechar os olhos para a Comunicação Assíncrona, o jeito certo de falar na internet, pode trazer problemas tanto para relações interpessoais quanto para uma empresa! Não custa, então, saber como se fazer a Comunicação Assíncrona. Usá-lo ou não é opcional.

O oposto da Comunicação Assíncrona é a Comunicação Sincronizada, que é, basicamente, aquela que ocorre de forma oral entre duas pessoas no mesmo ambiente. Um fala, o outro responde na hora e assim segue até o final da conversa. Ou seja, o interlocutor espera (e recebe) uma resposta rápida. Casa ela demore, uma estranheza chega a surgir. Essa comunicação sincronizada, no entanto, não deve ser o padrão na internet.

Pessoalmente, não há problemas em começar uma conversa com “Oi, tudo bem?”. Afinal, logo haverá uma resposta e a conversa pode chegar no ponto importante. Mas na Comunicação Assíncrona não é bem assim! Imagine se, antes da internet, alguém enviasse uma carta com apenas um “Oi, tudo bem?”. Seria um completo desperdício de tempo. Hoje, apesar da velocidade, a comunicação digital é (ou deveria ser) assíncrona.

Quando entenderam errado

comunicaçãoAntes de a internet ser o que é, assim como os smartphones, mandar um SMS era algo caro. Por isso, mandava-se sempre mensagens grandes. Gastar seus créditos para mandar um “Td blz?” não era algo lógico. No entanto, a telefonia mudou e as mensagens passaram a vir em pacotes. Aí começou a sincronização da comunicação móvel, especialmente entre o público jovem que já passava o dia todo com o celular em mãos.

Seria algo inofensivo, se esse modelo de comunicação não estivesse criando uma espécie de ansiedade no usuário.  Agora, uma resposta não imediata causa um sério incômodo. Especialmente graças aos recursos de identificar se a mensagem já foi lida ou não. Isso, no entanto, configura um grande problema para a comunicação.

Ao exigir uma resposta direta, supõe-se que seu destinatário não está fazendo nada e completamente disposto para engajar em uma conversa. Mandar um e-mail ou mensagem com “Oi, tudo bem?” é ignorar completamente a agilidade de multitarefa possibilitada pela internet e as tecnologias atuais.

Como usar Comunicação Assíncrona em sua empresa

assíncronaSalvo o contato via telefone, todo contato digital entre cliente e empresa é assíncrono. Afinal, não é possível dispor de tempo e pessoal para manter conversas sincronizadas com todos os clientes que procurarem a empresa. Como proceder, então? Simples! Seja direto. Educadamente, é claro.

Caso seja a empresa a começar a conversa, evite mandar apenas um cumprimento e faça com que o consumidor dê uma resposta que vá direto ao ponto. “Olá, tudo bem? Como podemos ajudar?” ou “Boa tarde! Está interessado em contratar nossos serviços hoje?”. Sem dispensar a educação, você está respeitando o seu tempo e o tempo de cliente. Quando ele que começar a conversa, mesmo que devagar com um “Oi, tudo bem?”, agilize a conversa já na resposta.

Muitas vezes, afinal, você nem saberá quando sua mensagem será lida. Dedicando todo sua atenção a uma conversa é um grande desperdício de tempo! Para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, continue seguindo o blog do SitePX.

Compartilhar

Por que fazer o marketing com a cabeça na Nuvem?

Publicado por Júlio Rocha em 11/11/2015 às 15h21

marketing

Levou algum tempo, mas não muito, para que todas as empresas abrissem a cabeça para internet e começarem a praticar o marketing digital. Agora, o mesmo está acontecendo com a computação em nuvem. Ainda há quem resista à novidade, mas o potencial dessa tecnologia que reduz a necessidade de gastos com infraestrutura é imenso. Pode ter certeza, fugir não é a decisão mais sábia.

Tudo começou com armazenamento. Primeiro de forma modesta, serviços como o 4shared e Skydrive permitiam o upload de arquivos e documentos que não fossem muito pesados. Afinal, a internet de dez anos atrás não era tão rápida e poderosa quanto de a hoje. O serviço, no entanto, evoluiu e agora é possível armazenar quantidade quase ilimitada de dados sem a necessidade de discos rígidos e data centers.

A situação avança ainda mais quando o assunto é processamento em nuvem, e é aí que a tecnologia se mostra a grande solução para empresas no futuro. Apesar de ainda não estar tão disseminado, especialmente com os problemas de conexão do Brasil, o processamento em nuvem permite que toda a parte pesada de softwares seja executada em outro lugar e apenas transmitida nos computadores da empresa. Serviços como o GeForce NOW, por exemplo, possibilitam que computadores simples rodem jogos pesados. No ramo empresarial, isso reduziria o custo de manutenção e upgrade de máquinas.

Veja os cinco pontos em que a Nuvem mais afetará o marketing digital:

  1.       nuvem Mais marketing, menos TI – uma dificuldade comum entre os praticantes do marketing moderno é ter que lidar com parte tecnológica do mercado. Graças ao processamento em nuvem e a simplificação de interfaces, a tecnologia será mais acessível e intuitiva para os profissionais de marketing.
  2.        Gestão remota – conhece o site Jovem Nerd? Produzindo diversos tipos de conteúdo referentes à cultura pop e nerd, este popular portal é uma grande exemplo de gestão remota possibilitada pela nuvem. Com um escritório localizado em Curitiba, no Paraná, a dupla Jovem Nerd e Azaghal coordenam editores e produtores de conteúdo localizados em vários outros estados do Brasil.
  3.        Customização de aplicativos – é possível adicionar softwares de desenvolvimento de aplicativos à nuvem e fazê-los em uma interface simples para que até leigos consigam manuseá-los com alguma facilidade. Já passou o tempo de ter que instalar e aprender. Agora, basta acessar à nuvem e aprender fazendo!
  4.        Gestão de custos – para começar, a nuvem é muito mais barata do que qualquer hardware. Isso é indiscutível. Mas, além deste fato, há possibilidades infinitas de customização de planos para empresas de todos os tamanhos. Seja um comércio local ou uma multinacional, há uma alternativa viável para o seu negócio.
  5.        Segurança de dados – a criptografia dos sistemas de armazenamento em nuvem hoje em dia é avançada o suficiente para que seus dados estejam mais protegidos na rede do que em um disco rígido. Tanto em termos de violação de privacidade quanto de perda de dados.

Como sempre, quanto surge uma tecnologia com a possibilidade de reduzir nossos gastos e simplificar a vida, não faz sentido algum tentar fugir. Dessa forma, fica a pergunta: você já está fazendo marketing na nuvem? A hora chegou!

Para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, continue acompanhando o blog do SitePX!

Compartilhar

Coleta da dados - 5 melhorias para seu marketing

Publicado por Júlio Rocha em 09/11/2015 às 16h34

big data

Já ouviu falar em big data? É um conceito moderno da gestão de informações que vem ganhando destaque no mundo digital. Com a integração crescente entre vida pessoal (e profissional) e o ambiente virtual da internet, a coleta de dados atingiu patamares inimagináveis. A capacidade de armazenamento e o grande número de informações compartilhadas permite que se saiba muito sobre qualquer coisa que envolva pessoas na internet.

Trabalhar com esse crescente e detalhado acervo de dados possibilita novas formas de dominar o marketing digital e garantir o sucesso de uma empresa na internet. Quem opta por criar um site e alavancar uma carreira na internet logo percebe que o ouro está na coleta e análise de dados. Seja para entender a própria empresa, medir esforços ou conhecer melhor seu público. Conheça, então, as cinco melhor maneiras de usar a coleta de dados para turbinar seu marketing digital:

  1. dadosGestão de orçamentos – há quem diga que acompanhar o ROI (retorno sobre investimento) na internet é uma tarefa difícil. Mas, na verdade, isso acontece pois os empreendedores o fazem mais difícil ao não registrar dados sobre gastos e lucros. Analisando e acompanhando números sobre investimentos, é possível fazer ligações entre determinadas ações e seus resultados.
  2. Vantagem competitiva – para crescer, é preciso para de olhar para si mesmo e analisar o que está acontecendo ao seu redor. Dentro dos limites da lei, é claro, é muito interessante acompanhar a situação e evolução de seus concorrentes nas métricas possíveis, como buscar no Google e engajamento nas redes sociais. E, dessa forma, comparar com sua própria empresa.
  3. Comportamento do cliente – qual é a jornada do cliente dentro do seu site? Ferramentas com o Google Analytics oferecem a possibilidade de estudar o comportamento médio dos clientes dentro do seu site e, assim, descobrir qual é o caminho sendo percorrido até a conversão e se ela está, de fato, acontecendo. Assim é possível fazer as alterações necessárias no site.
  4. Conhecendo o público – o internauta diz muito sobre si na internet, especialmente nas redes sociais. Dessa forma, é possível descobrir sua idade média, gênero, assuntos de preferência, quais são os celulares mais utilizados e, até mesmo, de ondem acessam seu site. Tendo conhecimento dessas informações, é possível direcionar sua comunicação para que ela seja mais efetiva dentro do seu público específico.
  5. Geolocalização – saber onde seu público está é fundamental para fazer com que sua comunicação o atinja. Falando geográfica e virtualmente, acertando a localização atual do internauta é possível fazer promoções direcionadas e específicas para região (ou situação) em que ele se encontra. Dessa forma, sua empresa passa a estar mais próxima ao consumidor, como um amigo.

Já está coletando dados e estudando sua empresa e seus clientes? Está acompanhando efetivamente seus investimentos e o retorno? Os dados demográficos do Facebook e relatórios do Google Analytics são mecanismos gratuitos para fazer a coleta de dados. Obviamente, existem softwares e serviços pagos que podem fazer isso de forma mais aprofundada.

Para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, continue seguindo o SitePX!

Compartilhar

5 canais do Youtube para aprender sobre empreendedorismo

Publicado em 04/11/2015 às 16h09

youtube

Empreendedorismo não se apreende apenas na prática! É preciso estar sempre estudando e se atualizando para garantir que não perca as mudanças constantes do mercado. Afinal, criar um site é apenas o começo. Para atingir o sucesso online é preciso de muito conteúdo também. Por sorte, há muita gente oferecendo tudo o que você precisa para isso. Muitas vezes, de graça. Basta saber procurar.

E os formatos nos quais esse conteúdo é distribuído são vários. Aqui mesmo, no SitePX, colaboramos com muitos caracteres semanais sobre as diversas facetas do marketing digital e de conteúdo. No entanto, um dos formatos favoritos do público hoje em dia é o audiovisual. E há muitos canais no Youtube oferecendo excelente conteúdo em vídeo sobre empreendedorismo. Quer aprender mais? Confira esses produtores de conteúdo:

  1.        youtubeEndeavor Brasil – um dos maiores portais de empreendedorismo do Brasil, não poderia ficar de fora do universo de vídeos para o YouTube. São diversos tipos de vídeos – mentorias, webséries, palestras e mais – organizadas em playlists temáticas.
  2.        TV Sebrae – não é de hoje que o Sebre existe para ajudar pequenas e médias empresas a encontrarem seu espaço no mercado. Agora, isso também acontece por meio de ótimos vídeos no YouTube.
  3.        Arata Academy – Seiiti Arata fez seu nome no mundo do empreendedorismo dando palestras concorridas sobre visões variadas do mercado. Dado a grande demanda por suas palestras, Arata levou seu conteúdo para o YouTube.
  4.        Man in the arena – com uma proposta diferente dos canais anteriores, o Man in the Arena tem o objetivo de ensinar com base na experiência de empreendedores bem sucedidos. São várias entrevistas realizadas com referências do mercado.
  5.        Inc Magazine – assim como o anterior, o Inc. Magazine funciona em um formato de entrevistas com grandes nomes do meio. A diferença é que este é internacional e, assim, conta experiências de empreendedores de todo o mundo.

Com todo o conteúdo desses cinco canais do YouTube e, ainda, as várias páginas de conteúdo aqui do blog do SitePX, você está pronto para criar um site e começar o caminho rumo ao sucesso na internet.

Por isso, não deixe de seguir o SitePX para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso! 

 

Compartilhar

Conquiste o público com um bom e-mail marketing

Publicado por Júlio Rocha em 28/10/2015 às 15h28

e-mail marketing

Acredita em amor a primeira vista? Pois saiba que isso é, na verdade, bem possível. A primeira impressão marca fortemente a possibilidade de seres humanos se envolverem com qualquer coisa. Vale para o amor e, também, para o e-mail marketing! Afinal, o que é o marketing se não um jogo de sedução entre empresa e consumidor?  Para começar o jogo, é necessário se apresentar bem e, para isso, criar um site.

Com o site no ar, considere-se vestido para um encontro. Agora, é preciso abordar seu alvo. Vocês já estão há algum tempo trocando olhares, esperando apenas alguém dar o primeiro passo. Vale lembrar que nem sempre aquela pessoa perfeita virá até você por conta própria, é necessário tomar atitude. E é justamente para te ajudar nessa fase do relacionamento que o post de hoje irá servir.

  •          e-mail marketingAssuntos novos – assim como aquela pessoal especial do outro lado do bar, seu consumidor não quer te ouvir falar sempre a mesma coisa. Por isso, cada linha de assunto, de cada e-mail marketing, deve mostrar que você tem bastante conteúdo para compartilhar. Afinal, você não quer ser uma pessoa chata que só fala sobre um assunto, não é?
  •          Não seja tagarela – uma boa conversa deve ser bem dosada entre a hora de ouvir e falar. Se você já abordar o alvo falando pelos cotovelos, provavelmente assustará a pessoa. Por isso, a primeira fala deve ser curta e direta. Caso haja interesse, a conversa pode se desenvolver melhor durante o e-mail ou ao pedir bebidas para dois.
  •          Sinceridade na apresentação – seja bem claro, ao puxar a conversa, sobre quem você é. No caso de um relacionamento, a pessoa irá perceber mentiras contadas para impressionar, no caso de um e-mail marketing, caso o campo do remente não seja bem claro, há uma grande possibilidade de que o consumidor ache que o mensagem é um spam ou fraude.
  •          Evite palavras erradas – algumas palavras são, simplesmente, corta clima! Você, provavelmente, não chegaria para conversar com aquela pessoa usando termos preconceituosos ou que não passem uma boa imagem sua. Afinal, as pessoas podem te descartar logo na hora. Com e-mails não é diferentes, o filtros anti-spam já dão alerta para e-mails com palavras como “promoção”, “grátis” ou “ganhe”.
  •          Naturalidade – se você chegar com muita sede ao pote falando “ei, vamos ser namorados?” ou algo ainda pior, provavelmente a pessoa vai se assustar, inventar uma desculpa e nunca mais aparecer. Com o consumidor não é diferente, se você já chegar tentando se vender, vai espantá-lo. Comece o contato como uma conversa normal e sem segundas intenções descaradas.
  •          Abra a comunicação – não importa quão bem você fale e como tenha muitas coisas diferentes para dizer, uma boa conversa requer que deixe espaço para o outro lado falar também. Por isso, sempre termine suas falas com uma deixa para que o consumidor responda. E, é claro, mantenha a comunicação viva e contínua!

O melhor de tudo: essas dicas valem para empreendedorismo e relacionamentos. Considere um post dois em um! E, para os dois casos, se a comunicação for bem feito, pode levar a bons momentos e, quem sabe, casamento.

Compartilhar

Como o visual merchandising e o vitrinismo melhorar suas vendas

Publicado por Júlio Rocha em 26/10/2015 às 11h08

visual

Já ouviu falar sobre visual merchandising? E vitrinismo? Esses dois conceitos de marketing, apesar de antigos, ainda não são tão bem praticados aqui no Brasil quanto em outros lugares no mundo. No entanto, pode ser que nessa história seja o brasileiro quem esteja saindo perdendo!

Para entender melhor esses conceitos e como eles podem ajudar a sua empresa, confira essa entrevista com alguém que é referência na área desde 2003: Cris Basso. Formada arquiteta e especializada em Visual Merchandising, Basso vem oferecendo consultoria para grandes empresas de todo o Brasil. E, pelos clientes satisfeitos, pode ter certeza de que suas respostas serão de muita ajuda para você, empreendedor.

Agora, Cris Basso responde:

cris bassoComo o visual merchandising e o vitrinismo vão impactar os negócios de um estabelecimento?

As técnicas de visual merchandising e vitrinismo servem para ajudar o empresário a expor melhor os seus produtos. Eu falo “técnicas” porque muita gente desconhece que esse tipo de trabalho exige, sim, técnicas, além de conhecimento de várias áreas, incluindo até o comportamento de consumo. São técnicas que envolvem um melhor planejamento do layout da loja, técnicas para melhorar a exposição dos produtos para que eles se apresentarem mais atraentes, e para que o consumidor passe por uma boa experiência de compra, seja através da aplicação dos cinco sentidos, por uma comunicação visual ou por vários outros caminhos. Com essas estratégias, o estabelecimento se prepara melhor para atender o seu consumidor, recebendo-o de uma maneira única, conforme sua proposta muito bem estudada e planejada.

Há garantia de aumento nas vendas?

O principal objetivo do visual merchandising e do vitrinismo é o aumento das vendas. Se isso não acontece, o trabalho pode não ter sido bem feito. Falo sempre que, se o produto está exposto mas não vende, então não é loja, mas sim um “museu”. Quando o produto está bem exposto, ele atrai mais os consumidores que se predispõem então a conhecê-lo, a experimentá-lo. Com essa interação, o desejo vai se transformando em uma necessidade, daí cabe ao lojista, a sua equipe de vendas e o próprio ambiente de vendas proporcionar uma interação agradável, ou seja, uma experiência agradável que chegue a favorecer a venda. Além do aumento das vendas, devemos considerar que o visual merchandising também trabalha com o fortalecimento da marca.

Clientes e colaboradores devem se sentir mais satisfeitos?

visualPosso garantir que quando esse processo de compra é feito de uma maneira prazerosa, a consequência é a satisfação plena dos clientes, porque passaram por esses momentos, e também pelos colaboradores, que não precisam usar argumentos forçados para estimular a venda, pois a loja por si só já irá trabalhar para colaborar com a satisfação de todos.

Com os colaboradores, é questão de costume. Podem achar que dá trabalho ficar arrumando a loja seguindo alguns critérios, ou ficar trocando de tempos em tempos as vitrinas, mas quando esse “trabalho” resulta em vendas, então valeu a pena a colaboração de todos.

Como pode ajudar o marketing da empresa?

O visual merchandising e o vitrinismo é uma das estratégias de marketing. É claro que existem outras, mas essa pode ser uma das mais baratas (dependo da loja) e das mais eficientes. A Zara, por exemplo, não faz outro tipo de marketing a não ser através do VM e do vitrinismo, e olha o resultado que ela tem hoje no mercado mundial. A loja cria uma identidade que deve ser comunicada e compartilhada em todos os canais. Ainda mais com o marketing digital, pois assim o cliente não se decepcionará em nenhum momento, nem quando visualiza o site ou quando se dirige à loja. Quando mais compartilhamentos, mais a marca fica forte, ou seja, sua identidade fica forte.

Como funciona a consultoria?

visualA consultoria consiste em trabalhar o visual da loja. Não se trata de fazer uma proposta esteticamente bonita, mas tem que ser primeiramente funcional. Algumas pessoas se mostram resistentes pensando que as propostas irão envolver somente gastos com acabamentos diferenciados, mas não se trata disso, pois a consultoria poderá envolver apenas uma proposta de gerenciamento das categorias dos produtos, ou ajustes em relação à iluminação, ou aplicação de técnicas para melhorar as exposições dos produtos. O desafio é fazer com que a loja trabalhe com o potencial que tem, mas se for preciso mudanças mais radicais, desde que tenham objetivos claros e consistentes, irei sugerir.

Como ter um bom visual de loja?

A loja precisa conhecer e reconhecer os seus diferenciais: o espaço de circulação, o layout, o mobiliário, os acabamentos e aqueles detalhes que são únicos daquele espaço. A partir disso, a loja começa a criar a sua identidade, que é única, particular e personalizada. Para se obter um bom visual de loja deve-se aprender a identificar esses diferenciais, deixando-os mais valorizados em um espaço. Assim, quando os produtos entram nesse cenário, eles deverão se apresentar bem organizados e muito atraentes, através de uma exposição com técnica e até com a aplicação de uma boa decoração temática. Esse processo se repete para que o consumidor sinta-se sempre atraído a ponto de tornar-se fã da marca, e melhor, compartilhando essa experiência vivida por ele.

Quer saber mais sobre a Cris? Acesse o site oficial!

Compartilhar

É possível fazer vendas pelo Instagram, já sabe como?

Publicado por Júlio Rocha em 23/10/2015 às 15h09

instagram

Quando o empreendedor escolhe criar um site para levar sua empresa à internet, ou já começar conectado, a possibilidade de realizar vendas online nunca é descartada, assim como a presença em redes sociais. Com o Instagram, agora, é possível juntar essas duas possibilidades oferecidas pela internet. Logicamente, a presença na rede social não diminui a necessidade de um site. Mas pode ser uma grande ajuda.

Por se tratar de uma rede social voltada para o compartilhamento exclusivamente de imagens, o Instagram se tornou umas das soluções ideais para donos de lojas virtuais. Afinal, há forma melhor de compartilhar fotos de produtos e coleções novas? É, simplesmente, muito conveniente para o empreendedor. Mas pode ser extremamente conveniente para o comprador também.

Em tempos de navegação mobile, quanto menor for o caminho do cliente até a compra, maiores as chances de que ele compre. Seja por impulso ou por estar satisfeito com o conteúdo. Tem algo mais prático do que descobrir o produto que você precisa ao navegar pelo Instagram e nem precisar abrir o navegador para realizar a compra? Para não perder esses clientes, então, basta utilizar alguns desses métodos:

  • instagram“Compre Agora” – não faz muito tempo, o próprio Instagram incluiu nativamente a opção de colocar um botão de compra nas publicações do aplicativo. Ao clicar nesse botão, o consumidor poderá ler mais sobre o produto, fazer login na loja virtual e realizar a compra sem precisar sair do Instagram.
  • Likestore – este aplicativo nacional server para que você possa realizar vendas tanto pelo Instagram quanto pelo Facebook. Ele, basicamente, cria uma loja virtual funcional dentro da interface das redes sociais. O número de produtos cadastrados e possibilidades de personalização varia conforme o plano, que pode ser gratuito ou custar até R$ 179.
  • Like2buy – quem usa o Instagram sabe que não é possível incluir links nas descrições de publicações (como é feito no Facebook). Dessa forma, as empresas colocam links na parte de descrição do perfil, o que limita os acessos. Com o Like2buy, toda foto passar a ser clicável, levando o comprador direto para a página de cada produto.
  • Soldsie – esta função é baseada em uma ideia muito interessante. Ao invés de clicar para realizar a comprar, basta o consumidor comentar na publicação a hashtag #sold e o tamanho da peça – em caso de lojas de roupas – que logo receberá um e-mail dando continuidade ao processo de compra.
  • Have2haveit – esse aplicativo foi desenvolvido pelos criadores do Soldsie e possui uma proposta bem semelhante à do Like2buy. Utilizando a plataforma, você cria um link personalizado para cada produto e, ao clicar nele, o usuário é direcionado para a página específica dentro do site.

O que acha, agora, de diminuir o caminho que o cliente deve percorrer até comprar seus produtos? Basta utilizar um desses serviços – ou o próprio Instagram – e sua você poderá combinar sua loja virtual com as redes sociais de uma maneira ainda mais completa!

Para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, continue acompanhando o SitePX.

Compartilhar

Sua loja virtual facilita a vida de seus clientes?

Publicado por Júlio Rocha em 21/10/2015 às 16h20

loja virtual

A internet (e qualquer outra inovação tecnológica) chegou para facilitar a vida de todos. Isso vai desde a imprensa de Gutenberg, passando pelos carros e chegando nesse mundo em que você não precisa sair de casa para comprar as coisas, basta acessar uma loja virtual. E é justamente facilidade – além de descontos e promoções – que o usuário da internet busca quando escolher uma loja virtual para fazer compras.

Se acha que basta ser mais barato, pense de novo. Desde que empresas inovadoras lançaram produtos mais práticos como a Steam, Netlix e Spotify para distribuir conteúdo, a pirataria de jogos, filmes e música sofreu um baque. Afinal, baixar gratuitamente a versão pirata já não era tão fácil quanto pagar um valor justo e ter o que você procura na palma da sua mão, sem trabalho nenhum.

E é oferecendo essa facilidade que sua loja virtual pode prosperar, e muito. Obviamente, preços justos são bem-vindos. Mas, antes de tudo, é preciso facilitar a vida do cliente. Afinal, por que razão você gostaria que fosse difícil comprar um produto na sua loja virtual? Por isso, confira uma lista de itens que podem estar dificultando a navegação do seu cliente:

  1.        loja virtualFalha na versão mobile – uma boa loja precisa ser funcional na versão para celulares e dispositivos móveis. O número de transações feitas a partir de smartphones cresce vertiginosamente. E se o cliente que acessar o seu site a partir de um celular não conseguir realizar a compra, pode ter certeza de que ele não vai chegar em casa e comprar pelo computador. Ele vai buscar a concorrência.
  2.        Opções demais – como Raul já dizia, “é tanta coisa no menu que eu não sei o que comer”. Ter opções é ótimo. Mas quando elas são muitas, pode ser que o cliente demore para escolher, ou deixe para escolher mais tarde. Isso poderia fazer, por exemplo, que você perca as compras de impulso. Para resolver isso, divida os produtos em filtros e categorias, possibilitando a navegação mais específica possível.
  3.        Call-to-action pouco direto – já há bastante material sobre como produzir os melhores chamados para ação, ou call-to-action, para a sua empresa. Mas é importante reforçar que, para induzir seu cliente à compra, é preciso que o chamado seja direto, curto e muito chamativo. Não se esqueça disso!
  4.        Apresentações incompletas – ou, pior que incompletas, falsas. É preciso que o cliente possa tirar todas as informações que precisa antes da compra. Pense em uma camiseta, por exemplo. Para saber que é esta que você quer, é preciso saber as dimensões de cada tamanho, cores disponíveis, material e, é claro, o preço. Se o cliente não encontrar isso, ele não poderá ter certeza de que quer comprar.
  5.        Tirando a confiança – o seu site precisa transparecer confiança! Afinal, poucas pessoas colocam seu dinheiro em um lugar que não confia. Por isso, é muito interessante seguir as dicas desse post que ensina como fazer seu site ser confiável. Envolve transparência e soluções de design! 

Agora basta criar uma loja virtual e garantir que ela venda muito bem, basta seguir essas dicas! Enquanto isso, continue acompanhando o SitePX para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso.

Compartilhar

Como evitar que seu site espante clientes

Publicado por Júlio Rocha em 19/10/2015 às 16h56

internet

A internet é uma invenção maravilhosa do mundo moderno. Ao mesmo tempo, ela traz para os internautas uma série de armadilhas e coisas ruins. Mas os usuários aprendem rápido e logo deixam de cair nessas ciladas. E por causa disso, é preciso que o seu site não passe a impressão de ser fruto de algum trabalho mal-intencionado. Afinal, mesmo que você não esteja oferecendo nenhum risco, internautas calejados podem acabar escolhendo evitar o seu site.

A solução é bem simples! Basta evitar práticas que foram adotadas pelos bandidos da internet, mesmo que elas, por si só, não sejam exatamente danosas ao navegante. Acontece que elas estão tão intrinsecamente relacionadas aos sites fraudulentos que, quando identificadas, fazem com que o internauta abandone o site na hora. São oito os principais pontos que se deve prestar atenção:

  1.        Nome do domínio – geralmente, sites que tentam te roubar utilizam nomes chamativos no domínio, muitas vezes usando as palavras “grátis”, “desconto” ou algo assim. Por isso, deixe o seu nome bem simples, com o nome da sua marca ou remetendo ao serviço que pretende prestar. Erros de gramática também não são bem vistos! 
  2.        Pop-ups estranhos – pop-ups, normalmente, já causam um leve incômodo durante a navegação. Se eles forem excessivos, com imagens estranhas, pedindo muitas informações e, para piorar, difícil de encontrar o botão para fechar, com certeza causaram espanto. Use-os com moderação e bom senso!
  3.        Informações de contato – é fundamental que o internauta sinta que pode se comunicar com o site, se isso for de seu interesse. Por isso, é importante que as informações de contato estejam lá e sejam fáceis de achar. Seja um telefone, e-mail, redes sociais ou chat de atendimento, é preciso uma abertura para a comunicação.
  4.        siteAtenção ao português – o site precisa exalar profissionalismo para garantir a confiança do consumidor. E se tem algo que vai contra o profissionalismo são erros gramaticais no conteúdo textual do site. Revise bem (ou chame um revisor) e esteja certo de que não está escrevendo nada errado!
  5.        Qualidade das imagens – se o conteúdo textual é importante, o pictórico também é! Imagens em baixa resolução ou montagens mal feitas são garantia de espantar clientes. Se há quem não perceba pequenos erros de gramática, todos percebem uma resolução estourada, gerando imagens granuladas. Preste atenção!
  6.        Mal gosto no design – a visão de “bom gosto” é constantemente evoluída na internet. No entanto, algumas coisas já caíram no consenso de mal gosto: excesso de efeitos, animações na logotipo, efeitos de “glitter”, de chamas e afins. Caso não se garanta para fazer uma boa identidade visual, contrate um bom designer!
  7.        “Faço tudo” – você é um profissional polivalente? Conserta torneiras, faz músicas, ensina receitas e é fotógrafo? Excelente! Mas não precisa dizer isso tudo em um só site. As pessoas não vão acreditar, vai ter cara de armação. Faça um site para cada serviço que possa prestar. Mas, seja sincero, você realmente pode fazer tudo isso?
  8.        Depoimentos – não que a falta de depoimentos seja algo contra o seu site. Mas, caso eles existam, é algo muito a favor. Aqui no SitePX, já ensinamos como e porque coletar depoimentos, pense bem nisso!

Agora, confira se seu site apresenta algum dos problemas indicados na lista. Caso sim, mude isso o quanto antes! Caso não, fique atento para não vir a praticar algumas dessas ações negativas no futuro.

E para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, basta seguir o SitePX!

Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left tsN b01e fwR bsd show|left fwR tsN show|bnull||image-wrap|news login c05|fsN fwR normalcase tsN|c05|login news fwR normalcase|tsN fwR normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||