Dicas para criar um site

Como gerar mais leads: Redes Sociais

Publicado por Júlio Rocha em 11/05/2015 às 11h02

leadsO SitePX dá início agora a mais nova série de publicações para empreendedores na internet. Os leitores já conhecem os segredos dos melhores blogueiros do mundo, agora é hora de gerar mais leads. Uma breve descrição para os esquecidos e desavisados: leads são, basicamente, contatos que a empresa recebe de clientes em potencial. Nem sempre, o lead será de interesse da empresa, afinal, existem tipos e tipos de clientes.

No entanto, os leads são uma forma de mensurar os resultados dos investimentos em marketing digital. Além disso, quando o lead é, de fato, de interesse da empresa, pode ser convertido na compra de um produto ou contratação de um serviço. Dada a explicitada importância do lead para empreendedores que escolheram criar um site e fazer sucesso na internet, o SitePX inicia, então, a série de três capítulos sobre como gerar mais leads nas principais frentes do marketing digital. A primeira são as redes sociais!

Atraia clientes com as Redes Sociais

lead

A presença da empresa nas redes sociais já é praticamente obrigatória. Mas, na verdade, não é necessária em todas as redes sociais. Aqui mesmo, no SitePX, já foi abordado o tema: como identificar as redes que melhor se adequam ao público da marca. Mesmo em sua função mais básica, uma rede social já permite que a empresa tenha maior visibilidade e, dessa forma, possibilite a geração de leads.

Em termos de estratégias, pode ser que não exista um caminho direto para o sucesso. No entanto, existe uma lista obrigatória para garantir algum retorno:

  •          Conheça o público – Talvez este seja um dos conselhos mais ressaltados no blog do SitePX. No entanto, é importante reforçar que, no Marketing de Conteúdo, é de suma importância saber com que se está falando.
  •          Ofereça o que se espera – Já conhece o público? Então demonstre! A qual linguagem ele responde melhor? Humor, seriedade ou, talvez, uma linguagem emotiva? E, é claro, o conteúdo compartilhado deve ser de acordo com a área de atuação de empresa.
  •          Seja referência – Este passo está ligado a um dos próximos capítulos da série! Mas vai um adianto: ao compartilhar conteúdo – seja próprio ou externo – é importante demonstrar conhecimento e expertise.
  •          leadEsteja em mais de um lugar – Esta dica requer certa cautela. É importante oferecer mais de um canal de contato. No entanto, não se deve tentar mais do que é possível cuidar. O Facebook é praticamente obrigatório, as outras redes devem ser estudadas com base no público da empresa.
  •          Acompanhamento frequente – Não adianta dedicar tempo e esforço ao gerenciamento das redes se não o devido acompanhamento não for realizado frequentemente. Estude os número de acessos, interações e, se possível, leads gerados através das redes sociais. Existe uma série de ferramentas para isso!

Estudos indicam que até 70% dos leads gerados por marketing digital de uma empresa podem vir das redes sociais. O consentimento é de que cada empresa deve desenvolver a própria linguagem para conseguir retorno do público que se relaciona com a área de atuação. Este é o segredo para gerar mais leads com redes sociais! É claro que todas as estratégias que o SitePX já ressaltou neste blog também são essenciais.

Quando o assunto é empreendedorismo e criar um site de sucesso, não há como competir com o blog do SitePX!

Categoria: Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

Melhore suas vendas otimizando seus botões Call-to-action

Publicado por Júlio Rocha em 08/05/2015 às 11h11

call to action
Seguindo uma tendência do marketing de se recusar a usar termos em português, o call-to-action (CTA) é exatamente o que sua tradução literal quer dizer: um chamado para ação. O conceito é muito simples! Ao criar um site para seu negócio, o empreendedor espera, naturalmente, que os consumidores se sintam compelidos a adquirir seus produtos. E o CTA é exatamente o convite (chamado) para o consumidor que compra (ação). Simples, não é?

call to action

O conceito, de fato, é simples. Mas a aplicação deve ser bem planejada, ainda que também não seja um bicho de sete cabeças. O post de hoje do SitePX é justamente para ajudar empreendedores que acabaram de criar um site a desenvolver o melhor call-to-action para sua empresa. É muitos simples! Basta prestar atenção ao checklist a seguir:

  •         Design chamativo – Não precisa ser complexo nem nada, mas deve ser a primeira coisa na qual o internauta baterá o olho. Pode conferir na home do próprio SitePX, por exemplo, e ver que há uma grande quadrado rosa escrito “COMECE AGORA!”. Em termos de design, é importante que o botão do CTA tenha uma cor que se destaque e seja grande o suficiente para ser visto rapidamente.
  •          Clareza na mensagem – O texto do call-to-action não deve ser interpretado! O consumidor deve saber, na primeira olhada, exatamente o que esperar do botão. No SitePX, por exemplo, quando o cliente lê “COMECE AGORA!” ele sabe que o chamado é para começar agora. Assim como em outra página existe o botão “CRIAR SITE AGORA!”, que, logicamente, leva o internauta à página de criação de sites.
  •         call to actionO que o cliente quer – Existem diferentes tipos de produtos e serviços! Nem sempre é possível explicar em duas palavras – como “criar site” – o que exatamente seu consumidor irá encontrar em seu site. Dessa forma, é possível trabalhar também com frases curtas, impactantes e com verbos no imperativo. Para exemplificar, imagine uma empresa que venda ventiladores. Ela pode usar a seguinte frase “compra agora o melhor ventilador do mundo”. Mais do que isso é demais!
  •          Depois do clique – Para onde o botão do CTA vai levar seu cliente? É importante que o destino do clique seja autoexplicativo e não leve o internauta para o lugar errado. O ideal é que o CTA leve a uma landing page, cujo único objetivo seja a ação, seja ela uma compra, contratação, download, acesso a um vídeo ou qualquer outro objetivo do empreendedor.

Agora que já sabe tudo para criar o melhor chamado para ação, basta desenvolver as melhores frases e design para o CTA perfeito! Para mais dicas valiosas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, é só acompanhar o SitePX.

Categoria: Conteúdo, Primeiros passos
Compartilhar

33% dos presentes de Dia das Mães serão comprados pelo celular

Publicado por Júlio Rocha em 06/05/2015 às 11h02

compras
Como toda data comemorativa, o Dia das Mães é muito mais do que a simples celebração que – talvez, um grande TALVEZ – tenha sido nos primórdios da data. Com a sociedade construída nos moldes do capitalismo – nada contra, é claro – a data se tornou um importante fenômeno econômico. Inclusive, dizem que o mês de maio é quase um dezembro, pois a única data que movimenta mais dinheiro que o Dia das Mães é o Natal.

Um detalhe moderno e empolgante: 33% das vendas realizadas na segunda data mais importante do ano para o comércio serão através de smartphones. Pelo menos, isso é o que diz a Criteo, empresa que fez um acompanhamento das tendências do mercado britânico para o dia das mães. Pode ser que os números sejam diferentes no Brasil? É claro, mas vale lembrar que tendências do mundo virtual muitas vezes são mais globais do que locais. Por isso, é importante estar atento!

Marketing comemorativo

dia das mãesSabendo da importância do Dias das Mães para o comércio, alguns empreendedores transformam o marketing da empresa em um verdadeiro caos. Desesperados pela audiência do consumidor, atacam em todas as frentes possíveis. Será, no entanto, que tanto desespero é necessário? Ou, mais importante, será que é a solução mais lucrativa? Não, não mesmo!

Toda campanha gerada pelo caos tende a gerar mais gastos do que o necessário. A forma de conseguir equilibrar bem os gastos e o retorno é saber o que o consumidor está procurando, ou, também, o que chamará sua atenção. E o Dia das Mães possui algumas características bem próprias que o SitePX irá compartilhar com seus leitores!

  •          Nostalgia – Uma boa estratégia é encorajar o consumidor a, por meio das redes sociais, reviver memórias da infância. Por exemplo: uma campanha que consista no envio de fotos antigas com uma hashtag relacionada a empresa.
  •          Novas mães – Como o tópico anterior, esse mexe com o sentimento das mães. Mas daquelas que acabaram de ter filhos! Neste momento, a euforia da maternidade as deixa mais suscetíveis ao marketing.
  •          Brindes e sorteios – Os filhos, filhas e maridos querem impressionar e alegrar as mães nessa data especial. A possibilidade conseguir um brinde ou item sorteado para complementar o presente é um grande atrativo.
  •          Mulheres modernas – Esqueça aquela imagem de mulher como dona de casa! Anunciar grills, máquinas de lavar e ferro de passar nessa data do ano é pedir para receber uma enxurrada de críticas negativas. Ainda que possa haver mães que apreciem tais presentes, cuidado para não passar a mensagem “lugar de mulher é na cozinha” com sua campanha!

dia das mãesO passo mais importante, no entanto, é combinar essas estratégias com o mercado mobile! 33% das vendas na segunda data mais movimentada do ano não é pouca coisa. Quem souber abraçar e tirar proveito dessa nova área de marketing e vendas com certeza atrairá mais consumidores do que aquele presos no passado.

Quem for criar um site com o SitePX já está na vantagem, pois todos sites produzidos na nossa plataforma são automaticamente ajustados para as plataformas mobile. Não fique de fora, continue recendo as melhores dicas de como criar um site de sucesso acompanhando o SitePX!

Categoria: Como atrair clientes, Conteúdo
Compartilhar

A estratégia de marketing que levará seu blog ao sucesso

Publicado por Júlio Rocha em 04/05/2015 às 15h25

marketing

Não há muito tempo que o SitePX publicou a saga de cinco capítulos intitulada O segredo dos melhores blogueiros do mundo. O post de hoje é como um spin-off da tão aclamada série. Nas linhas a seguir, o leitor do SitePX conhecerá a estratégia de marketing de Vinay Patankar, um dos maiores blogueiros da atualidade. Patankar é um empreendedor do universo das startups e o principal produtor de conteúdo do blog do Process Street.

Recentemente, o jovem australiano divulgou o seu método para garantir os 100 mil pageviews mensais de seus textos. E, é claro, o SitePX está pronto para ensiná-los os segredos de Vinay Patankar. Afinal, criar um site é apenas o primeiro passo para o sucesso na internet. Então, leitor, afivele o cinto de segurança que o expresso do conhecimento acaba de partir rumo ao mundo do blogueiros – parando, é claro, para visitar a terra das chamadas bregas!

Construa a equipe do marketing de conteúdo

marketingO modelo dos startups geralmente contempla equipes pequenas. Atualmente, Vinay é o único produtor de conteúdo, tendo em sua equipe apenas dois assistentes virtuais – modelo de contratação ainda pouco explorado no Brasil – para auxiliar em questões administrativas e de promoção. No entanto, o blogueiro compreende que precisa de mais para garantir os melhores posts.

A divisão de trabalho com a equipe atual é a seguinte: Vinay faz todo o trabalho de pesquisa, produção e postagem, sobrando para os dois assistentes a função de promover o conteúdo. Mas o autor possui planos para algumas contratações: um editor, um designer e mais dois assistentes virtuais. O primeiro para trabalhar em tempo integral com funções de publicação e revisão; o segundo para garantir que os posts sejam mais atraentes, além de converter o conteúdo para outros formatos, como ebooks e apresentações de slides; os assistentes viriam para reforçar a promoção e divulgação.

De forma nenhuma, no entanto, Vinay pensa em reduzir sua própria carga de trabalho. “Eventualmente, vou querer contratar alguém para revezar essa função [de produção de conteúdo], mas imagino que sempre estarei envolvido no processo de alguma forma”, é o que diz o australiano. O objetivo é continuar produzindo o bom conteúdo de sempre, mas sistematizar o processo para aproximar a razão de qualidade e quantidade.

Pensar e anotar

Vinay se declara usuário do aplicativo Trello para manter registro de suas ideias. É dessa forma que o autor nunca se vê sem assunto. Sua dashboard no aplicativo possui duas listas fundamentais: backlog e preferred ideas. A partir delas, Vinay programa a produção e publicação de textos.

Na lista de backlog o autor salva ideias que planeja desenvolver em algum momento, geralmente fruto da mente criativa e da navegação constante por sites e blogs relacionados à sua área de conhecimento. Já em preferred ideas, estão os assuntos com um passo a frente, que, em breve, serão convertidos em postagens para o blog.

O processo de escolher um assunto e levá-lo adiante não é mecânico. O blogueiro conta que, apesar de ter em mente a frequência ideal de um texto por semana, não deixa a quantidade sobrepor a qualidade. Se, por um acaso, algum assunto demandar mais tempo do que o comum, o post levará mais tempo para sair, sem estresse. Se não houver tempo para dedicar pelo menos meio dia à produção do post, Vinay não pensa duas vezes em adiá-lo.

Promover o conteúdo

marketingPara Patankar, a promoção é o passo esquecido pela maioria dos novos blogueiros atualmente. Muitas vezes, a excitação de criar um site gera expectativas muito altas. “Eles se empolgam com a ideia de criar um blog, mas assim que está tudo pronto e começam as postagens, não veem o tráfego ou retorno desejado e desistem”, enxerga. O motivo, segundo o blogueiro, é o investimento baixo de tempo, dinheiro e esforço com a promoção do conteúdo.

Com suas duas – em breve quatro – assistentes virtuais, seu processo é o seguinte: cada assistente toma para si a promoção de um texto específico e fica completamente responsável por ela. A estratégia de Vinay é concentrar esforços nas atividades consideradas de alto retorno – como compartilhar nos fóruns do reddit – e deixar as de baixo retorno – como comentários em outros blogs – para serem trabalhadas em longo prazo.

E como o autor fiscaliza o trabalho das assistentes? Utilizando o Process Street, produto do startup de Patankar cuja finalidade é, justamente, acompanhar o trabalho em equipe.

Resumindo: além do bom conteúdo, é necessário trabalhar em equipe e saber promover o trabalho. Claro que Vinay, além do talento, recebeu um impulso graças ao sucesso de seu startup. Ainda assim, não é fácil manter uma média 100 mil visualizações mensais. Para chegar mais perto desse objetivo, basta acompanhar as dicas de como criar um site de sucesso com o SitePX!

Categoria: Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

Como um bom design facilita a conversão

Publicado por Júlio Rocha em 29/04/2015 às 10h55

designA embalagem sempre foi – e sempre será – um dos maiores veículos do marketing de conteúdo. Basta lembrar que os produtos mestres em conversão são, por exemplo, alimentos voltados para o público infantil que utilize personagens de desenhos na arte da embalagem. Essa regra pode ser facilmente aplicada na hora criar um site e produzir conteúdo. Muitas vezes o bom conteúdo acaba ofuscado pelo visual não tem bem planejado.

Pode ser que, talvez, o melhor biscoito – ou bolacha, pode escolher – seja aquele na embalagem feia. Mas, sinceramente, quem daria uma chance a ele? O SitePX, no entanto, quer que o seu site seja não só o melhor dos biscoitos quanto aquele se destaca nas prateleiras pelo pacote charmoso que abriga o produto. Pensando nisso, o post de hoje ensina como pensar a aparência do site de forma aumentar a conversão.

Design aplicado no texto

webdesignAntes de entrarmos na parte das fotos e imagens, é importante saber que o design – e a conversão, por consequência – começam no texto. Para começar, a escolha da tipografia é importante e não deve ser arbitrária. Para banners e destaques é comum utilizar fontes diferentes e extravagantes. Se nesses casos a estratégia pode ser boa, na hora de ler uma postagem a situação é outra.

Existe um conceito de design chamado legibilidade. Este conceito estuda a relação entre elementos visuais e a absorção do conteúdo por parte o leitor. Para textos maiores, fontes diferentes das clássicas – como Verdana e Times New Roman – podem causar estranhamento. Dessa forma, o conselho é que na hora de postar um artigo ou texto em blog o autor guarde as fontes gritantes e ofereça algo mais básico para o leitor.

Elementos de destaque também devem ser bem utilizados. Títulos e subtítulos são bem-vindos. Assim com citações destacadas e palavras importantes em negrito, além de ser bom para o SEO, essas iscas visuais ajudam o leitor a saber sobre o que é o texto antes de ler, podendo decidir se o assunto é ou não de seu interesse. Hoje em dia, é injusto esperar que o internauta leia um parágrafo inteiro – ou mais – apenas para descobrir sobre o que se trata.

Uso de imagens para conversão

designUma regra da internet: o leitor tem medo de textão. Não que eles não tenham capacidade ou vontade de ler, mas a internet fez com que blocos de texto amontados pareçam uma bíblia perto das postagens curtas de redes sociais. Dessa forma, é fundamental quebrar o texto e distrair o leitor com conteúdo imagético.

Para começar, divida parágrafos sem pena. Passou de cem palavras, corte ou transforme em dois. E, mesmo com blocos pequenos, muitos parágrafos juntos também espantam – sim, o leitor é arisco. Isso não quer dizer, no entanto, que precisa criar um site apenas para conteúdo pequeno. O truque é intercalar blocos de três ou quatro parágrafos com imagens.

Melhor ainda é oferecer ao leitor imagens originais. Gráficos e ilustrações relacionadas ao tema são parte do conteúdo. E é justamente o conteúdo que ajudará na conversão. Se o autor do texto não tem habilidade de design, a parceria com um profissional da área é muito bem-vinda.

Último detalhe importante: conteúdo não é propaganda. Ou não deve parecer propaganda, pelo menos. O leitor percebe tentativas agressivas de tentar vender um produto. Caso o produtor de conteúdo queira falar de um produto ou serviço no texto, isso deve ser feito de forma orgânica e natural. Afinal, um blog não é Polishop!

É, de fato, um pouco engraçada a relação do internauta com o conteúdo. Ao mesmo tempo em que está ávido por imagens e textos originais, o consumidor impõem uma série de regras – muitas inconscientes – para apreciá-lo. Conhecendo essas regras, como as apresentadas no texto de hoje, o produtor está seguro! Especialmente se for leitor do blog do SitePX com dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso.

Categoria: Como atrair clientes, Conteúdo
Compartilhar

Vícios de linguagem que prejudicam seu conteúdo

Publicado por Júlio Rocha em 27/04/2015 às 10h58

escrever
O velho ditado já diz: errar é humano. Talvez a característica mais humana de todas. Afinal, que outro animal, além do homem, pode ser dar o luxo de errar? Vícios de linguagem são demonstrações dessa peculiaridade da espécie. Dizem, também, que persistir no erro é burrice. Conscientemente ou não, muitos dos que fazem tal afirmação cometem os mesmos erros, falando aqui em termos de gramática, repetidamente. Esses erros são os chamados vícios de linguagem.

O próximo passo natural do empreendedor após criar um site é começar a produzir conteúdo. E conteúdo de qualidade é, obviamente, o desejado pelos produtores. No entanto, todo o trabalho de pesquisa e reflexão pode descer pelo ralo da desaprovação internética, mesmo que o crítico cometa seus próprios erros em suas redes sociais, por exemplo. O próprio SitePX já falou sobre esses erros no blog. Hoje, porém, o foco é nos vícios de linguagem.

O conteúdo pode ser bárbaro, mas sem Barbarismo

escreverÉ conhecido como Barbarismo o desvio da norma que acontece nos níveis de pronúncia, morfologia, semântica e grafia. Para quem já esqueceu, uma recapitulação de morfologia e semântica: a primeira é o estudo da construção de palavras, enquanto a segunda trata da relação de sentido entre elas. Alguns exemplos, para facilitar:

Desvio de pronúncia – Gra-tu-Í-to. É comum, inclusive, ouvir a palavrar pronunciada dessa forma em propagandas de televisão. Lembre-se, a pronúncia certa é gra-tUi-to.

Desvio de grafia – Certesa, anbulância, viajem (quando substantivo) e muitos outros são erros comuns que consistem, basicamente, na troca de uma letra que possua pronúncia semelhante. A grafia correta, no entanto, seria certeza, ambulância e viagem.

Desvio de morfologia – Entram nessa categoria, por exemplo, verbos mal conjugados ou plurais mal flexionados. Como se ele ir (no lugar de se ele for) e troféis (no lugar de troféus).

Desvios de semântica – Quando é dado a uma palavra o sentido errado, geralmente confundido com o de outra palavra parecida. Exemplos de desvios: tráfico intenso na avenida (tráfego), o réu foi absorvido (absolvido) e Pedro comprimentou João (cumprimentou).

Tenho certeza absoluta de que Pleonasmo é um vício de linguagem

escreverÉ claro que é absoluta, pois, se não fosse, não seria certeza. Este é um clássico exemplo de pleonasmo muito repetido, por sinal, na linguagem oral e, ocasionalmente, escrita. O pleonasmo seria o uso de termos redundantes em uma mesma sentença. Se por um lado exemplos como entrar para dentro, subir para cima e escolha opcional já são bem lembrados, existe alguns casos que passam despercebidos. Como estes a seguir:

Há anos atrás – A principal causa deste erro é o esquecimento de que há é uma conjugação do verbo haver. Se vários anos, logicamente não é no futuro. Dessa forma, o atrás fica redundante.

Encarar de frente – Eis uma expressão pronta para discursos motivacionais. No entanto, se o receptor do discurso não possui olhos na nuca, é impossível encarar de outro ângulo que não seja de frente.

Repetir de novo – A não ser que seja pelo menos a terceira vez que o locutor profere uma sentença, há redundância na expressão de novo. Primeiro o locutor fala, depois repete e, apenas então, é possível repetir de novo.

Além do barbarismo e do pleonasmo, há alguns outros erros dignos de nota. O eco, por exemplo, que seria a rima na prosa pode dar um aspecto infantil ao texto. Por exemplo: causa comoção quando um autor vacilão faz rimas de montão, para esse erro, diga não! Pode até ser que soe bem em poesia, mas em prosa fica terrível. Terrível assim como um cacófato. Imagine a expressão vou-me já saindo da boca dela. Fica feio, não é?

Saiba que, pela legislação brasileira, o desconhecimento não justifica o crime. Dessa forma, não dá para se defender de acusações dizendo que não sabe de nada. A desculpa de licença poética também pode não valer. É preciso uma excelente construção para que a licença poética não pareça apenas uma justificativa sem vergonha para o erro.

Não deixe, no entanto, que a possibilidade de errar o impeça de produzir. Revisões e novas leituras provavelmente possibilitarão que o próprio autor ou pessoas próximas identifiquem esses erros. Caso, ainda assim, alguns erros passem despercebidos, cabe uma justificativa apresentada no primeiro parágrafo deste texto: errar é humano.

Caso queira mais dicas para evitar erros, continue acompanhando do blog do SitePX e saiba como criar um site de sucesso!

Categoria: Conteúdo, Primeiros passos
Compartilhar

Atualização do Facebook aumenta importância do conteúdo

Publicado por Júlio Rocha em 23/04/2015 às 10h56

facebook
Não é só o Google que atualiza seu algoritmo de sugestão diariamente! Dessa vez, o Facebook anunciou mudanças no algoritmo do feed de notícias que tornará as linhas do tempo pessoais mais voltadas para o usuário, removendo excesso de posts de páginas e amigos chatos. Sim, a nova atualização identificará os principais amigos dos internautas para priorizar suas publicações.

O importante de se ressaltar aqui, no entanto, não é o novo mecanismo de formação de panelinhas do Facebook e, sim, o fato de que, agora, páginas terão menos espaço. Para começar, já foi anunciado que os posts privilegiados serão os de amigos. Além disso, as notícias do tipo “seu amigo curtiu isso” aparecerão menos. Ou seja, não adianta conquistar os amigos e esperar a visualização, é preciso encantar usuário por usuário.

Conteúdo para seduzir

facebookSe, em um primeiro instante, pode parecer desesperador o fato de que a atualização irá diminuir a ocorrência de páginas de empresas na linha do tempo, olhando com mais calma se pode perceber que a atualização irá beneficiar o bom conteúdo. Afinal, o internauta só receberá mais do que curtiu previamente.

O que isso quer dizer? Simples! O usuário do Facebook precisa curtir as publicações da página. O conteúdo será mais importante do que nunca. Cada curtida recebida pelas postagens aumentará as chances de que novos posts cheguem às linhas do tempo dos consumidores. Mais do que nunca, imagens e chamadas precisam ser apelativas – no bom sentido – e o conteúdo de qualidade.

É claro que o Facebook irá manter os posts patrocinados. E estes, por sua vez, podem ser uma boa alternativa para que os internautas tenham o primeiro contato com as publicações da empresa. No entanto, é importante lembrar de que nada adianta ser visto e não conquistar. O acesso orgânico ainda é o mais valioso, sempre será.

Novo universo para explorar

algoritmoComo toda novidade no mundo do marketing digital, em breve os maiores exploradores da área levantarão novas ideias interessantes de como fazer o novo algoritmo trabalhar em favor de sua empresa. Enquanto isso não acontece, no entanto, é útil se manter fiel ao bom conteúdo. Para ser justo, é sempre bom produzir bom conteúdo.

Afinal, criar um site é apenas o começo da jornada árdua e recompensadora do marketing digital. A internet está vivendo uma fase em que apenas o conteúdo – seja em texto, vídeo ou imagens – é capaz de seduzir o público e fidelizar consumidores. É claro que o SitePX compartilha as melhores dicas do marketing de conteúdo para que todos possam aprender o segredo para criar um site de sucesso.

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

10 coisas para fazer antes de publicar conteúdo

Publicado por Júlio Rocha em 20/04/2015 às 13h41

criar um site
Com toda a pressa e velocidade de uma rotina profissional de produção de conteúdo, pode ficar difícil dedicar muito tempo a algumas etapas aparentemente menos importantes do processo de publicação. O que, infelizmente, não pode acontecer. Talvez, de fato, alguns tratamentos precisam de mais dedicação do que outros. Depois de criar um site e começar a publicar conteúdo, é necessário saber quais são esses tratamentos.

Pensando nisso, o post de hoje do SitePX compartilha os passos fundamentais que devem entrar no checklist do produtor de conteúdo antes de clicar no botão “publicar”. Confira a lista a seguir:

  1. criar um siteAtente-se aos objetivos da empresa – Praticantes do marketing de conteúdo possuem uma boa estratégia documentada, certo? E, nessa estratégia, estão definidos os objetivos do marketing de conteúdo da empresa. Lembre-se, então, de ter certeza de que o conteúdo publicado esteja de acordo com esses objetivos.
  2. Direcione para um público específico – Postando conteúdo regularmente é possível atingir um grande público sem que todo material seja direcionado para o mundo. Definindo as diferentes personas da empresa, deve-se dedicar a publicação a um público específico.
  3. Otimize as palavras-chave – No mesmo documento com a estratégia de marketing deve haver uma lista palavras-chave relevantes para a marca. Tenha certeza que o conteúdo esteja otimizado para uma ou duas delas.
  4. Faça links – Seja para seu próprio site ou para fontes externas, é importante para o SEO e para a credibilidade do veículo sugerir outros conteúdos para o leitor. Uma sugestão para sites com o objetivo de venda de produtos é linkar a página de um produto específico no conteúdo produzido.
  5. Título chamativo – Na internet, a atenção do leitor precisa ser capturada rapidamente. Seja pela busca no Google ou pelas redes sociais apenas a combinação do título impactante e uma boa imagem podem garantir o clique do leitor.

  6. Use a mesma voz –
    Mesmo quando a produção de conteúdo envolva trabalhos assinados por pessoas diferentes é importante que o tom das publicações mantenha um padrão que possa ser reconhecido pelo leitor. Vozes muito diferentes passam a sensação de inconsistência.
  7. Inclua imagens – De preferência fotografias! É bom para o SEO e para atrair leitores. Cuidado, no entanto, para não infringir leis de diretos autorais.
  8. checklistFormatação - É de extrema importância visualizar a postagem antes de publicá-la. Apenas dessa forma é possível garantir que o conteúdo esteja disposto de forma a ter a melhor legibilidade. Tenha sempre em mente a diagramação mobile também!
  9. Revisão ortográfica – Fundamental! Pequenos erros de digitação podem até ser relevados, mas erros de ortografia – especialmente quando são vários – podem resultar em crucificação. Leia o texto quantas vezes puder e, de preferência, chame alguém para revisá-lo de novo.
  10. Uma boa conversa – Estimule o engajamento. Tenha certeza de que o conteúdo dá brechas para que o consumidor comente, concorde ou discorde, e, de preferência, sinta-se compelido a compartilhar.

Criar um site é só o começo! Há muito para ser feito antes de se tornar um grande produtor de conteúdo. Mas, pode ter certeza, fazer um checklist com estes dez itens antes de publicar um texto pode fazer toda a diferença. Assim como continuar lendo o blog do SitePX com dicas semanais de empreendedorismo e como criar um site de sucesso!

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

O público não gosta de publicidade? Tente o conteúdo!

Publicado por Júlio Rocha em 17/04/2015 às 13h36

content marketing
A publicidade em vídeos, páginas e e-mails é um ponto controverso da internet atualmente. Por um lado, as marcas precisam se divulgar e os veículos precisam arrecadar. Por outro, a internet chegou para o público doméstico com uma promessa de liberdade cujo cumprimento a propaganda obrigatória dificulta. Quando o consumidor finalmente conseguiu escapar das propagandas de TV, rádio e jornal ainda há quem insista em retroceder aos anúncios obrigatórios?

O plug-in Adblock, por exemplo, é um dos mais instalados atualmente justamente por impedir que anúncios indesejados – no caso, todos eles – sejam abertos pelo navegador. Não à toa, os anunciantes e veículos publicitários estão perdendo cabelo na tentativa de determinar uma estratégia para evitar que o internauta passe direto pela publicidade. Mas seria esse o caminho ideal?

A solução é o marketing de conteúdo

E se alguém dissesse que é possível não apenas levar sua marca para o público, mas, também, fazer com o que o público a procure? Não precisaria chamar o sujeito em questão de louco ou sonhador, pois, de fato, isso é uma realidade. É preciso, apenas, entender que o internauta não quer um vendedor virtual o seguindo em todas as páginas que acessa. O presente é a opção, o direito de escolher o que ver, ler ou assistir.

Este é o momento, então, em que o bom empreendedor começará a praticar o marketing de conteúdo. É hora de tornar a marca ou empresa algo além de uma solução para alguma necessidade momentânea do consumidor, é preciso se tornar referência. Produzindo bom conteúdo, seja em vídeo, texto, imagem ou qualquer outro formato que domine, a marca consegue angariar uma legião de seguidores fiéis. E como fazer isso? Confira os primeiros passos:

  • marketing de conteúdo

    Ganhe permissão – É importante entender que o conteúdo é feito para o público, não para a empresa. Ao acessar bons conteúdos de determinada empresa ou marca, o internauta irá, aos poucos, dando permissão ao produtor de conteúdo para compartilhar seu trabalho em suas redes sociais e e-mail, por exemplo.
  • Saiba o que eles querem – Usando ferramentas como o Google Analytics, o produtor possivelmente irá perceber que uma pequena parcela de conteúdo possui desempenho muito maior do que a maioria. No entanto, isso não é algo negativo. Quer dizer, apenas, que é esse o conteúdo que o público da empresa procura. Dessa forma, é possível moldar as próximas publicações para satisfazer as expectativas do leitor.
  • Saiba usar os dados do consumidor – Hoje em dia é muito fácil conseguir informações dos internautas. Inclusive, é bem recomendado que empresas utilizem essa possibilidade para montar estratégias de marketing digital. O cliente, porém, sentirá que teve sua privacidade invadida caso a marca demonstre saber demais sobre sua vida. E, caso utilize recursos que chamem o consumidor pelo nome, é importantíssimo que não o chame pelo nome errado.
  • Sete segundos – Sete segundos é o tempo que o cliente leva para decidir se vai ou não dar atenção ao conteúdo. Para garantir que sim, é preciso apresentar apelo visual ou, pelo menos, uma chamada atraente.

Um reforço da importância do conteúdo no mercado atual: o público de televisão americano está deixando de assistir a programação ao vivo para assisti-la mais tarde podendo pular a publicidade. A internet vive uma era em que não tem jeito, o consumidor não aceita propaganda enfiada goela abaixo, é preciso ganhá-los com bom conteúdo.

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

O que é conteúdo de qualidade para o Google?

Publicado por Júlio Rocha em 15/04/2015 às 11h18

googleNão é segredo que o Google possui um complexo algoritmo que ranqueia diversas páginas da web conforme a adequação a uma série de regras. Também não é segredo que o Google é responsável por grande parte dos acessos da maioria dos sites. Dessa forma, é muito interessante garantir que seu site esteja de acordo com tais regras.

Algo que o Google considera de suprema importância na hora de definir qual página deve estar em primeiro lugar é a qualidade do conteúdo. No entanto, qualidade parece ser um fator um tanto quanto subjetivo para ser matematicamente mensurado. Por isso, o próprio Google lança constantes atualizações com novas fórmulas que separam o bom conteúdo do mau conteúdo.

Evite o que o Google não gosta

conteúdo

Se as discussões sobre “bom ou mau”, “bem escrito ou mal escrito” e outras polêmicas dicotomias são subjetivas demais para a matemática, algumas gambiarras podem, sim, ser identificadas por mecanismos automatizados. Portanto, um jeito de provar para o algoritmo do Google que seu conteúdo é de qualidade é provando, justamente, que voce não precisa apelar. Uma lista com algumas características consideradas negativas pelo Google:

  • Conteúdo gerado automaticamente
  • Esquema da troca de links
  • Páginas com pouco – ou nenhum – conteúdo original
  • Cloaking, ou camuflagem de conteúdo, que é o ato de disfarçar o conteúdo de uma página por meio de um URL enganosa
  • Conteúdo copiado
  • Texto com palavras-chaves irrelevantes
  • Conteúdo malicioso, como vírus e phishing

Há, ainda, mais fatores considerados negativos pelo Google, esses são alguns dos principais. É possível conferir os outros diretamente da fonte! Vale lembrar, então, que tais tipos de estratégias são detectadas pelo algoritmo do Google e, consequentemente, sites que as utilizam são penalizados no ranqueamento.

Não ache, no entanto, que o Google considere ruim o uso das técnicas de SEO. Muito pelo contrário, ele até o incentiva. No entanto, caso seja entendido que as técnicas foram usadas para divulgar conteúdo de pouco qualidade, aí sim há a punição.


Há, sim, seres humanos por trás da avaliação do Google

conteúdo

O Google ainda não revelou isso oficialmente, mas documentos vazados apontam que existe um time de Quality Raters da empresa. Ou seja, funcionários reais que leem o conteúdo e o colocam o carimbo de “bom conteúdo” ou “mau conteúdo”. Esta equipe é responsável não apenas por julgar os sites ranqueados, mas, por meio de relatórios, aprimorar o algoritmo. Por sorte, há uma lista de itens que os avaliadores gostam de encontrar no conteúdo:

  • Nível expert – Pode ter certeza que o avaliador saberá dizer se o conteúdo foi feito pelo estagiário, ou, pelo menos, o estagiário ruim. É importante que seu conteúdo transpareça conhecimento.
  • Experiência do usuário – O time do Google busca sites que ofereçam uma boa experiência. Seja pela boa navegação, design agradável e disposição inteligente do conteúdo.
  • Quantidade – Páginas cheias e muitas páginas são um bom sinal. Desde que, é claro, não estejam cheias como linguiças. A qualidade ainda conta!
  • Interação com boas fontes – Quais são as fontes de informação de seu conteúdo? São boas? Então, cite-as! Mostre ao Google que você possui boas referências.
  • Contato acessível – Não deixe que os avaliadores pensem que você está se escondendo. É necessário deixar bem visível uma área de contato!
  • Atualidade – Conteúdo velho e desatualizado não é bem aceito. Dessa forma, lembre-se de manter o site sempre repleto de novidades e não tema mudar o conteúdo de páginas já criadas.

Agora que o leitor já sabe o que fazer e não fazer na hora de produzir conteúdo, uma curiosidade: o filtro de qualidade do Google se chama Panda. Ou seja, há um Panda fiscalizando diariamente o conteúdo produzido por você para garantir que apenas sites de qualidade sejam priorizados no buscador. Divertido, não?

Para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, continue acompanhando o blog do SitePX!

Fonte: Content Marketing Institute
Categoria: Como atrair clientes, Conteúdo
Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left tsN b01e fwR bsd show|left fwR tsN show|bnull||image-wrap|news login c05|fsN fwR normalcase tsN|c05|login news fwR normalcase|tsN fwR normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||