Conteúdo

Como fazer dinheiro com Marketing de Conteúdo – parte 1

Publicado por Júlio Rocha em 20/07/2015 às 15h38

marketing de conteúdo

Publicar conteúdo nunca foi tão fácil. Por consequência, nunca houve tanta gente produzindo ao mesmo tempo. O que poderia ser um cenário de concorrência sufocante é, na verdade, uma bela oportunidade para quem pratica o Marketing de Conteúdo.  Se a oferta de conteúdo pode estar prestes a superar a demanda, o mesmo não pode ser dito do BOM conteúdo. Sim, há muita gente oferecendo porcaria, ou até se esforçando, mas falhando na hora de definir uma boa estratégia.

Uma análise lançada recentemente pelo Content Marketing Institute, levando em conta os principais produtores de conteúdo da internet atual, apontou que todos os grandes formadores de opinião têm seguido uma estratégia de seis passos, que são suficiente para separar o produtor profissional do “sobrinho com um computador e internet”. Com essas seis dicas originais, embasadas em casos de sucesso, o seu marketing de conteúdo não será mais o mesmo e fazer dinheiro será um futuro próximo.

Para fazer Marketing de conteúdo, conheça a si mesmo

Os três primeiros passos apontados pelo Content Marketing Insitute (CMI) envolvem o autoconhecimento do produtor de conteúdo – ou da empresa. Entender o que você pode oferecer é o primeiro passo para entender o que o público espera de seu conteúdo.

  1.        marketing de conteúdoEncontre o “cantinho doce” – Sim, “cantinho doce” é um péssimo nome, mas é a tradução literal do termo sweet spot, definido pelo CMI como o primeiro passo fundamental para dominar o marketing de conteúdo. Segundo o Instituto, esse cantinho é a interseção entre a sua especialidade e a sua paixão no mundo empreendedor. Utilizando o SitePX como exemplo, a especialidade seria a criação de sites e a paixão é o empreendedorismo. Dessa forma, o conteúdo base do SitePX é a aplicação das técnicas empreendedoras para criar um site de sucesso. Tendo esse ponto definido, faço o possível para trabalhar dentro dele.
  2.        Tilt no conteúdo – O que há de diferente no seu conteúdo que nenhum outro concorrente pode oferecer? Para exemplificar, conheça – se já não o conheceu antes – Claus Pilgaard. O músico dinamarquês ficou famoso em toda a internet por demonstrar conhecimento e apreciação pelos mais variados tipos de pimenta e música erudita. Até então, Claus tinha descoberto um sweet spot (que é mais ardido do que doce). No entanto, enquanto a maioria dos apreciadores de pimentas costuma falar sobre a ardência dessas especiarias, Claus percebeu que seria pioneiro se soubesse falar da pimenta da mesma forma que especialistas falam sobre vinho! Esse ponto único é o tilt de Claus. Descubra qual é o seu!
  3.        Construindo a base – Quando você já definiu qual é a sua área e, também, qual é o seu tilt especial sobre esse conteúdo, é preciso definir por onde começar a atacar. Para construir essa base, é necessário responder as seguintes perguntas: qual é o tipo de conteúdo (vídeo, áudio, texto...)? Qual é o principal veículo (site, blog, YouTube...)? Qual a frequência (diária, semanal, mensal...)?

Ao pensar sobre esses pontos e começar a definir suas diretrizes, anote tudo em um pedaço de papel, documento do word ou qualquer outra ferramenta de preferência. Essas são as direções base que você seguirá daqui para frente. Aproveite o intervalo entre esse post e a segunda parte para definir suas diretrizes. Em breve, ensinaremos como aplicar essas definições na sua estratégia de Marketing de Conteúdo.

Continue acompanhando o SitePX para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso!

Categoria: Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

Native Ads: Sua publicidade aceita pelo público

Publicado por Júlio Rocha em 06/07/2015 às 11h04

native ads

Na época das redes sociais, filmes on demand e filtros de conteúdo, é muito difícil forçar o público a consumir qualquer conteúdo que não lhe chame a atenção, especialmente quando tal conteúdo é publicidade. O tempo em que não dava para fugir das propagandas passou e, agora, o consumidor só as verá se tiver vontade. E, caso se sinta forçado, é capaz de se revoltar com o anunciante. Sendo assim, como fazer sua publicidade ser efetiva?

E aí que entram os conceitos de Native Ads e publieditorial. Em um tempo em que o conteúdo é o que há de mais importante para o consumidor, essas novas formas de fazer publicidade misturam as técnicas de produção de conteúdo e propaganda de forma a não assustar usuários da internet e, ainda, fazer com que eles se interessem pelo o que sua empresa tem a dizer. Tentador, não é?

Publicidade na linguagem certa

native adsO princípio dos Native Ads – native advertising ou publicidade nativa – é fazer a comunicação publicitária usando a linguagem do veiculador do anúncio para que o consumidor veja a propaganda como parte do conteúdo. Por exemplo, a publicidade nativa do Facebook é um post patrocinado. Ao invés de um banner ou outra forma de anunciar, você pode fazer um post normal – como aqueles feitos por usuários domésticos – e fazer com que ele apareça para seu público alvo.

Falando assim, pode parecer que os Native Ads são uma forma de enganar o público o fazendo acreditar que está consumindo o conteúdo normal de sua rede social favorita. No entanto, os posts patrocinados são identificados como tal, alertando o internauta de que ele está consumindo publicidade. Mas sabe qual é a melhor parte? Ele não liga! Pois, dessa forma, não sente que o conteúdo publicitário não é invasivo e não está tentando forçá-lo a comprar alguma coisa.

É um conceito muito parecido com o do publieditorial! Alguns anunciantes perceberam que comprar uma página para anúncio em revistas já não estava funcionando tão bem. Pensando assim, pensaram “e se houvesse uma reportagem sobre minha empresa nessa revista?”.  Afinal, quem compra uma revista, compra para ler suas reportagens e textos opinativos. Dessa forma, estariam mais confortáveis com a ideia de consumir a informação oferecida pela empresa.

Sem conteúdo não adianta

native adsJá foi mencionado nesse texto que o consumidor não gosta de se sentir enganado. Por isso, não adianta jogar qualquer conteúdo e esperar que dê resultado. Subestimar os clientes é muito perigoso e pode resultar em total rejeição. Ao fazer um post patrocinado no Facebook, por exemplo, não use a clássica linguagem de vendedor “compre já” e afins. Seduza o leitor com uma boa imagem, ofereça a solução para seus problemas – mesmo que até então ele não soubesse que havia um problema para ser solucionado.

O mesmo vale para o publieditorial. Se todo o texto for uma mensagem de marketing sem nenhuma informação diferente o mais provável é que o consumidor avance algumas páginas da revista ou procure outro post no blog em questão. É importante despertar o interesse do consumidor, e a melhor forma de fazer isso é garantir que o leitor crie identificação com o conteúdo. Sempre, é claro, deixar claro que a sua marca irá resolver seus problemas e ajudá-lo a atingir seus objetivos.

Já sabe, então, como fazer com que seu leitor queira consumir seu conteúdo? Para mais dicas, basta continuar seguindo o SitePX e receber o que há de melhor sobre empreendedorismo e como criar um site de sucesso!

Categoria: Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

10 palavras persuasivas para o seu e-mail marketing

Publicado por Júlio Rocha em 29/06/2015 às 13h34

gatilhos mentais

Quando a internet começou a se tornar popular entre os brasileiros, os e-mails de empresas passaram a ser reconhecidos como vilões de sua caixa de entrada. Hoje em dia, porém, o e-mail marketing se tornou um indispensável aliado do empreendedor na internet. Isso tudo graças ao Marketing de Conteúdo, cuja prática ensinou tanto ao consumidor quanto ao empreendedor que o diálogo entre eles não precisava ser o papo antigo do vendedor.

10Parte do processo de aprendizado de como se fazer e-mail marketing veio da nova linguagem adotada por empresas. Ao invés da linguagem imperativa e o tom agressivo de vendedor de televisão, o e-mail marketing foi transformado em uma conversa com o cliente. Com um tom mais amigável e informativo, o e-mail marketing é capaz de melhorar drasticamente a reputação da empresa para o cliente. No entanto, é preciso saber como falar e quais palavras usar. Justamente para isso, o SitePX compartilha essa lista de palavras especiais!

Palavras de convencimento no e-mail marketing


Essas palavras selecionadas podem ser usadas para convencer o seu cliente a abrir o e-mail e, também, o deixa mais suscetível ao conteúdo da mensagem. Logicamente, não adianta salpicar as palavras aleatoriamente. É preciso usá-las direito. Por isso, para cada palavra segue uma breve explicação!

  1.       Como fazer – o básico do Marketing de Conteúdo! Entendendo a necessidade de seus clientes, é possível saber o que eles querem aprender. No caso SitePX, por exemplo, poderíamos chamar atenção com um e-mail “Como fazer um site de sucesso”. Obviamente, o conteúdo não pode ser diferente disso!
  2.        Truques – já ouviu falar em lifehacks? Eles são formas inteligentes de resolver problemas do dia a dia. Uma dica: as pessoas adoram esse tipo de conteúdo! Compartilhe truques para soluções de problemas relacionados a sua área de atuação que o sucesso é garantido.
  3.        Promoção – com que frequência você compra com promoções ou cupons de desconto recebidos via e-mail? Pode ter certeza que, se a relação da sua empresa com o cliente for boa, uma promoção será bem-vinda.
  4.        Exclusivo – todo mundo adora ser convidado para um clube ou área VIP. Compartilhe informações, brindes e promoções com exclusividade para que seu cliente se sinta especial!
  5.        sitepxGrátis – precisa falar mais? Na verdade, precisa. Por mais eficiente que a palavra seja, é preciso tomar cuidado e não abusar dela. Como muita gente já usa o “grátis”, e-mails com esse nome podem ser considerados spam.
  6.        Você/seu – o cliente gosta de sentir que você está falando diretamente com ele. O uso de pronomes como “Você” e “Seu” ajuda a criar essa aproximação. Cuidado, apenas, para não trocar o sexo dos consumidores durante a conversa. Evite palavras que variem em gênero!
  7.        Agora – já falamos aqui no SitePX sobre gatilhos emocionais! Ao usar a palavra “agora” você ativa o gatilho da Escassez, criando um senso de urgência no consumidor.
  8.        Novo – todos adoram uma novidade! Se for possível combinar a novidade com a exclusividade é ainda melhor.
  9.        Dicas – parecido com o truque. No entanto, a palavra dica carrega um tom menos malandro e mais companheiro. Ideal para listas e “passo a passo”.
  10.        Obrigado – foi mencionado nesse post que o e-mail marketing é uma conversa com o cliente, certo? Pois uma conversa bem educada requer o uso de expressões polidas, como “obrigado”, “bem-vindos” e outras. Os clientes gostam de educação! Mesmo quando eles mesmos não a demonstram.

E com essas 10 palavras já é possível fazer um site e um bom trabalho de e-mail marketing para conquistar clientes! Comece já a praticar e continue acompanhando o SitePX para dicas de empreendedorismo e como fazer um site de sucesso.

Categoria: Como atrair clientes, Conteúdo
Compartilhar

Por que vídeos são essenciais para o marketing mobile?

Publicado por Júlio Rocha em 22/06/2015 às 11h20

Não é novidade aqui no SitePX falar sobre como a navegação mobile está mudando o marketing digital. Leitores do site já sabem que o Google desenvolveu o conceito de um novo momento na hora da compra, o ZMOT, e, também, que há aspectos bem específicos do consumo via dispositivos móveis. E, mais uma vez, o Google compartilha seu banco de dados com empreendedores e mostra que a crescente navegação mobile mudou ainda mais o mercado.

Essas mudanças vêm do aparecimento de micromomentos que são possíveis apenas porque a navegação mobile é muito mais rápida e pode acontecer em qualquer momento e lugar. Logicamente, a forma de consumir não foi a única coisa que mudou. O tipo do conteúdo preferido pelos consumidores já não é mais o mesmo. Textos longos? Linguagem rebuscada? De forma alguma! O consumidor quer vídeos, curtos, ágeis e informativos, e empreendedores espertos podem tirar proveito disso.

Publicidade mobile não é mal recebida

Como o consumo de conteúdo na internet é muito personalizado, fazer publicidade tradicional – aquela empurrado goela abaixo – tem se mostrado desafiador e pouco produtivo, pois lida com a adversidade dos internautas. Além disso, por se tratar de um novo veículo, ainda há dificuldades técnicas ao transpor a publicidade para os moldes da navegação em dispositivos móveis.

E, veja só, esses problemas apontados estão se resolvendo naturalmente. Seguindo dois pontos básicos, a publicidade em vídeos mobile não é tão rejeitada pelo público. E esses dois pontos não são nada de outro mundo.

Criar vínculo emocional com o consumidor

Dados do Google apontam que o internauta móvel está mais propenso a consumir e compartilhar publicidade do que o consumidor padrão de outras mídias como a televisão. O principal motivo disso é o fato de que o marketing de conteúdo torna as marcas uma pessoa próxima ao consumidor, um amigo virtual. Quando esse vínculo existe, a publicidade deixa de se tornar inconveniente durante a navegação mobile.

Sempre dar opção

Mesmo estando mais disposto a consumir a propaganda, o internauta não gosta de sentir-se obrigado a fazer isso. Afinal, a navegação em smartphones geralmente é feita de forma de rápida, utilizando o tempo curto que o consumidor tem para ela. É preciso respeitar essa limitação e sempre dar ao consumidor a possibilidade de não ver a propaganda naquele momento. Segundo o Google, três em cada quatro consumidores dizem que ter a opção é imprescindível.

Menos agressividade, mais conteúdo

É digno de nota, no entanto, que a publicidade tradicional e o marketing agressivo já não funcionam tão bem quanto antes. Como mencionado antes, a empresa agora deve se tornar um amigo do consumidor, criar um vínculo emocional. E isso não vai acontecer gritando “COMPRE!”, “CONTRATE!” e coisas do tipo. Apenas o conteúdo é capaz de gerar esse vínculo. E o conteúdo em vídeo é o principal, especialmente em se tratando do público jovem.

Propagandas bem humoradas agradam mais. Mas o principal fato da atenção do consumidor são vídeos que ajudem a tomar a decisão durante a pesquisa para a compra. O consumidor moderno prefere consultar um celular dentro da loja do que contatar um vendedor. Vídeos de tutorial (o clássico “como fazer”) e vídeos de unboxing (apresentação de produtos) são os principais consumidos pelo internauta.

Resumindo, então: o vídeo é a mídia do momento, se quiser conquistar o público do século XXI, faça marketing audiovisual. Lembre-se, no entanto, de criar um vínculo emocional e sempre dar a opção de pular a propaganda! Para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, continue seguindo o SitePX.

Fonte: Think with Google
Categoria: Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

Saiba como (e porque) coletar depoimentos de clientes

Publicado por Júlio Rocha em 18/06/2015 às 15h56

O que você (como consumidor) precisa antes de decidir comprar de uma empresa na internet? Provavelmente, o mínimo necessário é alguma confiança na empresa. E coletar depoimentos é a forma mais eficaz de garantir que a sua empresa transmita confiança para os consumidores. No entanto, nem sempre o empreendedor sabe como conseguir esses depoimentos ou como garantir que eles saiam da forma necessária para ajudar na construção da imagem da empresa.

Para facilitar essa processo, o SitePX reuniu algumas dicas fundamentais tanto para coletar depoimentos quanto para fazer com que eles aumentem as vendas de seu site. Afinal, quer outra forma melhor de passar uma boa imagem da empresa do que mostrar pessoas reais falando sobre ela?

A hora de coletar depoimentos

O primeiro passo, naturalmente, é pedir. Pode até ser que alguns clientes fiquem tão empolgados com os serviços da empresa que não se aguente e acabe dando seus depoimentos espontaneamente. Mas isso é exceção à regra. Normalmente, um cliente calado é um cliente satisfeito. É mais fácil uma reclamação espontânea do que um elogio. O ser humano é assim mesmo.

De qualquer forma, como dito antes, um cliente calado geralmente é um cliente satisfeito. Então, é bem possível que a, ao abordar o cliente, o empreendedor tenha uma resposta positiva. É claro que a abordagem deve ser sutil e respeitosa. Caso o cliente se recuse, seja cordial. Afinal, você está pedindo um favor! Se, por um acaso, tenha clientes que são conhecidos seus, pegar depoimentos com eles pode ser uma boa forma de motivar outros compradores a compartilharem suas opiniões.

Caso um cliente dê um depoimento negativo sobre a empresa, o aceite também! É claro que não precisa mostrar uma opinião ruim para todo mundo, mas é bom melhorar alguns posicionamentos da empresa. Caso o cliente concorde, tenha certeza de que especificou bem para qual mídia é o depoimento (vídeo, áudio ou texto).

Como garantir o melhor depoimento?

Antes de tudo: NÃO dê um roteiro para o cliente. Note a ênfase no “não”. É importante destacar isso, pois – especialmente em vídeo – a chance de um testemunho roteirizado soar falso é enorme. A não ser, quem sabe, que o público alvo de sua empresa seja uma companhia de teatro.

Conversar previamente com o prestador do depoimento também é interessante, tanto para criar empatia que o ajude a perder a vergonha na hora de gravar e, também, para deixar claro que pontos ele deve abordar durante o testemunho. Quando for filmar – seja pessoalmente ou por Skype – certifique-se de que o ambiente da gravação não está poluído e conduza a filmagem como uma entrevista.

Para evitar respostas curtas como “sim”, “não”, “gostei” e outras coisas do gênero, faça perguntas que dê espaço para respostas elaboradas. Algumas sugestões:

  •          Como o SitePX ajudou a sua empresa?
  •          Como nosso produto garantiu sua satisfação?
  •          Por que você escolheu nossa marca?
  •          Compraria conosco de novo? Por quê?
  •          O que diria para outras pessoas que estejam pensando em criar um site com o SitePX?

Logicamente, essas não são as únicas perguntas possíveis. Vale notar que o principal truque é evitar perguntas cuja resposta seja “sim” ou “não” e, caso uma dessas respostas apareça, complemente com um “por quê?”. Confira abaixo o exemplo de testemunho de um cliente do SitePX:

Agora que já sabe como coletar depoimentos e garantir que eles sejam os melhores, pode começar a criar uma reputação para sua empresa na internet. Para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, continue acompanhando o blog do SitePX!

Categoria: Como atrair clientes, Conteúdo
Compartilhar

Como o humor “sério” pode garantir o sucesso nas redes sociais

Publicado por Júlio Rocha em 16/06/2015 às 10h30

Existe toda uma psicologia por trás do comportamento e compartilhamento por parte dos usuários das redes sociais. E estudando sobre o assunto, descobre-se que o sucesso de uma postagem geralmente vem de uma identificação sentimental do internauta com o conteúdo. O humor é, provavelmente, a estratégia que toca os sentimentos virtuais com mais frequência. Não à toa, perfis de Facebook como o do Netflix e da Prefeitura de Curitiba são estudados como casos de sucesso.

Agora, o SitePX te conta um segredo, mas não espalhe! Trabalhar com humor nas redes sociais não é tão difícil. O público já não está esperando piadas intelectuais à la Woody Allen, o humor rápido e de identificação – como do da Prefs – é exatamente o que faz sucesso na internet. É claro que não há como garantir que um post se torne viral. Afinal, o viral, por definição, é algo surgido inesperadamente, sem planejamento e não é replicável. No entanto, nem toda postagem de sucesso é um viral. O SitePX ensina, agora, como levar o humor a sério para fazer sucesso nas redes sociais.

Nem tudo é piada

Há uma grande polêmica em torno dos limites do humor. Atores de stand-up, por exemplo, vivem sendo acusados de ultrapassar esses limites. Se tais limites existem de fato, é discussão para outro lugar. No entanto, é importante lembrar que as pessoas apreciam diferentes tipos de humor e é possível que se incomodem quando o humor praticado for muito diferente do esperado. Resumindo: as redes sociais da sua empresa não têm espaço para humor negro.

Pode até ser que você, seus amigos e várias outras pessoas achem engraçado. Não há problemas nisso. Todavia, o humor ofensivo – baseado no preconceito ou piadas com tragédias – tem mais chance de afastar o público mais conservador do que o humor leve afastar os que apreciam o humor negro. Ou seja, troque as piadas com minorias por referências à cultura pop, por exemplo.

Existe uma vertente de marqueteiros que acreditam que a polêmica é uma boa forma de divulgação. Mas, se quiser testar, saiba que é arriscado. Enquanto alguns, de fato, viralizam pelo humor negro e, por consequência, veem aumentos de leads, outros podem precisar fechar as portas graças às reações negativas. Na dúvida, então, escolha o humor leve.

Procure o humor nas redes sociais

Fazer humor é, basicamente, trabalhar a piada certa na hora certa. Ao postar uma novidade da empresa, por exemplo, o humor pode estar todo em uma imagem engraçada junto ao texto. Como faz a Prefs ao incluir personagens famosos em paisagens curitibanas. Ou quem sabe uma piada de duplo sentido – com cuidado para não ir longe demais – como esta do Ponto Frio.

Vale ressaltar, no entanto, que o humor nem sempre está na postagem e, sim, no contato da empresa com o usuário. Veja a Netflix, por exemplo. Ao fazer esse post sobre uma de suas séries originais, a empresa respondeu alguns comentários de seus clientes sem necessariamente forçar uma piada, mas dando uma resposta semelhante àquela que um amigo daria, criando, assim, um elo sentimental com o internauta.

Não esqueça seus objetivos

É importante lembrar que as redes sociais de sua empresa não devem se tornar um produto puramente humorístico. Ao criar uma estratégia de marketing, o empreendedor define alguns objetivos, lembra? Pois os objetivos continuam valendo e a piada não deve sobrepô-lo. A Prefeitura de Curitiba, por exemplo, continua usando a página do Facebook para dar comunicados importantes e de interesse dos curitibanos e aqueles que vivem na cidade. O Ponto Frio e Netflix precisam, acima de tudo, vender produtos e serviços.

Por isso, toda postagem deve direcionar o consumidor a uma ação. Seja ler um comunicado sobre doação de roupas no inverno, assistir uma série original ou comprar cuecas em uma superpromoção. Com sua empresa não é diferente, o humor deve ser apenas o chamariz, não a mensagem inteira.

Agora que já sabe como usar o humor nas redes sociais, que tal aprender ainda mais sobre empreendedorismo e como criar um site de sucesso com o SitePX?

Categoria: Conteúdo, Marketing Digital, Redes Sociais
Compartilhar

Como promover seu conteúdo fugindo do óbvio: Streaming

Publicado por Júlio Rocha em 11/06/2015 às 13h38

Há muitos e muitos blogs e sites com dicas de como promover seu conteúdo na internet. No entanto, o SitePX propõe um desafio! Monte uma cartelinha de bingo para cada um desses textos que visitar com alguns dos seguintes itens:

Pode ter certeza que, se houver prêmio nesse bingo, você ganhará um para cada site que visitar. Não que essas dicas sejam ruins, muito pelo contrário. No entanto, elas não têm nada de novidade. Esses cinco pontos são, de fato obrigatórios para quem quer trabalhar com marketing de conteúdo. Mas, para se destacar, é preciso pensar fora da famigerada caixinha. Para ajudar, o SitePX joga uma escada com alguns degraus que o ajudará à escapar do interior desse lugar cheio de ideias seguras e pouco inovadoras. Hora de fugir do óbvio!

Streaming para promover seu conteúdo

Serviços como Meerkat, Periscope ou Sul ao Vivo podem servir ao mesmo tempo para o público doméstico quanto para o empreendedor. Basicamente, essas três ferramentas oferecem a possibilidade de se comunicar com o público por meio de vídeos de duração variada. A Sul ao Vivo é voltada principalmente para a transmissão de eventos e soluções que requeiram plataforma e equipamento, é um investimento maior, mas que pode render bom retorno.

Já o Meerkat e o Periscope – este associado ao Twitter – possuem a simplicidade mais típica da internet. A partir da câmera de um celular, é possível fazer streaming de curta (ou longa) duração e compartilhá-los nas redes sociais. E como a sua empresa pode fazer usos empreendedores dessas ferramentas? Algumas sugestões:

  •          Compartilhar momentos de um evento com participação da empresa
  •          Discursos em tempo real
  •          Anúncios oficiais de novidades da empresa
  •          Chegada de novos produtos

E a lista pode ir longe, a única limitação é a criatividade do empreendedor. A Adidas, por exemplo, fez o streaming de um vídeo de 20 segundos mostrando o jogador de futebol James Rodriguez recebendo uma nova chuteira. Fãs do jogador, da marca e de futebol com certeza se empolgaram com o conteúdo.

Saindo da zona de conforto

Antes de tudo, é preciso lembrar que sair da zona de conforto não é a mesma coisa que se enfiar em um mato sem cachorro sem um objetivo em vista. É possível mudar de estratégia, ampliar horizontes sem correr riscos verdadeiros. O risco maior, na verdade, é deixar o conforto impedir o avanço. O Periscope e Meerkat, por exemplo, são ferramentas simples e gratuitas. Experimentá-las não é perigoso e os resultados podem ser muito positivos.

Com o objetivo de ajudar empreendedores a encontrarem novos caminhos na internet para garantir o sucesso de sua empresa, o SitePX compartilhará dicas e ideias para, usando do velho clichê, pensar fora da caixinha e garantir que sua empresa seja referência tanto em qualidade quanto em inovação.

Para ter acesso a essas ideias e muito mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, é só acompanhar o blog do SitePX!

Categoria: Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

Marketing moderno: os quatro momentos do consumidor

Publicado por Júlio Rocha em 08/06/2015 às 10h53

Como é de interesse do Google que os profissionais de marketing e produtores de conteúdo façam um bom trabalho, a empresa costuma divulgar informações de seu banco de dados sobre as novidades do comportamento dos consumidores na internet. E, bem, como mais da metade das ações dos consumidores na internet tem alguma relação com o Google, há de se convir que estes dados são de primeira.

A mais nova pesquisa levantada pelo Google aponta as mudanças de comportamento provocadas pela popularização da navegação mobile. Basicamente, o Google identificou que o consumidor possui quatro momentos específicos – com funcionalidade e características próprias – que podem ser exploradas pelo marketing de conteúdo para oferecer aquilo que o internauta quer e procura.

  1.        Momento “eu-quero-saber” – Mais do que nunca, os consumidores pesquisam antes de comprar ou consumir alguma coisa. Mais especificamente, o número de consumidores que pesquisam na internet antes de comprar aumentou em 65%. Um dos gatilhos que levam o internauta a pesquisar um produto na internet são propagandas na TV. 66% dos usuários pesquisam um produto que descobriram na televisão.
  2.        Momento “eu-quero-sair” – Seja para lazer ou para negócios do cotidiano, o número de pesquisas por empreendimentos locais no Google duplicou. E 82% dessas buscas são realizadas a partir de um smartphone. Para tirar maior proveito desse momento do consumidor, basta ler os textos do SitePX sobre marketing local e a importância de criar um site mobile.
  3.        Momento “eu-quero-fazer” – Internautas também têm seus momentos proativos! E a internet, é claro, está presente durantes esses momentos. 91% dos usuários de mobile utilizam seus smartphones para buscar ideias enquanto realizam atividades. E apenas até este momento no ano de 2015 mais de 100 milhões de horas de vídeos de “como fazer” foram assistidas no Youtube.
  4.        Momento “eu-quero-comprar” – Mesmo estando em uma loja física o consumidor ainda recorre à internet. 82% dos usuários de smartphones pesquisam opiniões e comparam preços na internet quando estão dentro da loja vendo os produtos pessoalmente. Inclusive, a conversão de pesquisas em compras a partir do smartphone subiu 29% desde a última pesquisa.

Conhecendo os momentos do consumidor, é possível planejar os momentos do empreendedor. Os momentos “quero-ensinar”, “quero-indicar”, “quero-ajudar” e “quero-vender” são essenciais para corresponder às expectativas de cada momento do internauta. Agora que já os conhece, então, pode começar a trabalhar de forma a oferecer ao consumidor exatamente o que ele espera.

É claro, no entanto, que há mais coisas que o empreendedor precisa saber para ter sucesso na web. Por sorte, existe o SitePX com suas dicas diárias de empreendedorismo e como criar um site de sucesso.

Fonte: https://think.storage.googleapis.com/docs/4-new-moments-every-marketer-should-know.pdf
Categoria: Como atrair clientes, Conteúdo
Compartilhar

Sucesso é mais do que ganhar dinheiro

Publicado por Júlio Rocha em 29/05/2015 às 10h38

sucesso
O caminho para o sucesso é árduo! É gratificante e empolgante, mas não dá para negar que, algumas vezes, o empreendedor pode sentir certo medo e até desespero. Afinal, criar um site é só o começo. É necessário, também, empenho e muito trabalho. Em alguns momentos a promessa do pote de ouro no fim do arco-íris pode não parecer tão tentadora. Nesses casos, é preciso achar inspiração em outro lugar.

No fim das contas, o que faz o empreendedor ir para frente é ouvir a história daqueles que já estiveram no mesmo lugar que eles. Histórias de sucesso, é claro. Entender as motivações dos outros ajuda a descobrir suas próprias. Saber que outras pessoas enfrentaram os mesmos desafios – ou pelo menos com o mesmo grau de dificuldade – permite que o empreendedor enxergue as adversidades como uma forma de crescer. Dessa forma, conheça duas situações que ensinam onde procurar motivação.

Caso Lego: é necessário enxergar os frutos do trabalho

Em um experimento, o pesquisador Ariely separou participantes em dois grupos. Todos os estudados receberam peças da série Bionicles – série de robôs Lego – para criar novos personagens. Ambos os grupos receberiam dinheiro por suas criações de forma decrescente. Ou seja, o primeiro boneco valeria U$ 3, o segundo U$ 2,70 e assim por diante até chegar a zero.

sucessoA diferença era a seguinte: o primeiro grupo guardaria os robôs até o fim do evento, momento em que eles seriam desmontados. Já o segundo grupo teria os robôs destruídos assim que tivessem terminado de montá-los. Qual o resultado? Os criadores do primeiro grupo fizeram uma média de 11 robôs cada um até o fim do evento. Os outros desistiram depois de ver 7 bonecos sendo desmontados.

Moral da história: mesmo que o dinheiro venha, ver aquele empreendimento que tomou seu tempo e dedicação ser destruído desanima qualquer um.

Caça-palavras: a importância do reconhecimento

Mais uma vez, Ariely conduziu uma experiência divida em grupos. Nesse caso, três grupos de estudantes do Instituto de Tecnologia de Masschusetts, o famoso MIT. O trabalho dos grupos seria seguinte: todos receberiam um papel cheio de letras aleatórias e em meio a elas deveriam encontrar pares de letras. Cada rodada bem sucedida seria recebida com dinheiro, de forma decrescente como a história anterior.

A diferença: o primeiro grupo entregaria o resultado da rodada em uma folha assinada com o próprio nome e o aplicador do teste cumprimentaria o estudante; o segundo grupo entregaria a folha sem assinar e ela seria colocada sobre uma pilha de papeis sem receber atenção; já o terceiro, entregaria a folha apenas para ver o aplicador colocá-la no triturador de papeis.  Os membros do terceiro grupo pediram quase o dobro do dinheiro recebido por aqueles do primeiro. E o segundo, que não teve o trabalho nem reconhecido e nem destruído quis tanto dinheiro quanto o terceiro grupo.

Moral da história: Não ter o trabalho reconhecido desmotiva tanto quanto ter o trabalho destruído. O reconhecimento chega a ser mais importante para o empreendedor do que o dinheiro.

Aprender para evoluir

Há uma ilusão de que o dinheiro é o motivo pelo qual se trabalha. Na verdade, o motivo por trás de criar um site e buscar uma carreira empreendedora é maior que o dinheiro. Uma boa dose de realização pessoal, reconhecimento e orgulho do próprio trabalho são as verdadeiras motivações. O dinheiro é consequência (bem vinda, é claro).

Com as dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso do SitePX, cumprir seus objetivos e ganhar dinheiro fica mais fácil!

Categoria: Como atrair clientes, Conteúdo
Compartilhar

Como gerar mais leads: E-mail Marketing

Publicado por Júlio Rocha em 25/05/2015 às 11h20

leads
Leitores do blog SitePX que estão acompanhando a série Como gerar mais leads já sabem como usar as redes sociais e o marketing de conteúdo em seu favor. Agora, já podem ter acesso ao último volume da aclamada trilogia de publicações semanais. E, assim, empreendedores que optarem por criar um site com o SitePX já terão duas séries concluídas para ajudar a trilhar o caminho do sucesso na internet.

E-mail Marketing: simples e melhor

Com tantas possibilidades novas surgindo graças às redes sociais e o marketing de conteúdo, chega a ser estranho pensar que uma tecnologia já antiga como o e-mail seja a que apresenta os melhores resultados. Segundo uma série de pesquisas divulgadas pelo portal Salesforce, o e-mail marketing ainda é o meio mais eficaz. Veja alguns exemplos:

  • leads44% dos destinatários de e-mail marketing fizeram pelo menos uma compra por causa de uma campanha
  • Metade das listas de e-mail é considerada ativa. Ou seja, pelo menos metade dos destinatários abrem o e-mail
  • Para cada dólar investido em e-mail marketing, os marqueteiros podem esperar até U$ 44 de retorno
  • Estima-se que em 2016 existirão 4,3 bilhões de contas de e-mail ativas no mundo

Com base nesses números, é possível perceber que o e-mail é uma estratégia barata, com alto retorno e ainda bem recebida pelos consumidores. A estimativa de contas ativas para o próximo ano ainda prova que os e-mails possuem uma longa vida pela frente. Então, agora, basta saber como começar a praticar o marketing via e-mail.

Aumentando seu mailing

Um mailing nada mais é que do que a lista de e-mails da empresa. No caso, a lista de pessoas que receberão seu e-mail marketing. O fator mais básico do mailing é: ninguém gosta de receber contato de desconhecidos. Dessa forma, não adianta comprar o mailing de alguém ou utilizar estratégias para conseguir contatos de forma indevida. O consumidor deve concordar em ingressar sua lista. Aqui no SitePX há um texto sobre isso, mas fica aí um resumo:

  • Formulários de cadastro
  • Oferecer conteúdo especial por e-mail
  • Organizar eventos com inscrição por e-mail

Essas são as principais formas de conseguir e-mails com consentimento dos internautas. Para lembrar mais uma vez: e-mail marketing só com consentimento. Com um mailing aumentando progressivamente, já dá para começar a investir nas estratégias de marketing por e-mail.

Os melhores e-mails

leadsVoltando às pesquisas divulgadas pelo Salesforce, há uma série de fatores que os consumidores levam em consideração na hora de decidir se abrem ou não um e-mail. Logicamente, cada cliente possui uma personalidade própria, o que dificulta a criação de uma regra. No entanto, algumas características conseguiram desempenho melhor do que em outras com um número maior de pessoas.

  • 33% dos destinatários abrem e-mails baseando-se apenas no assunto
  • Assuntos com menos de dez caracteres são abertos em 58% dos casos
  • 7 de 10 consumidores utilizam cupons de desconto recebidos por e-mail
  • E-mails na segunda-feira possuem maior taxa de conversão
  • Para empresas B2B, as palavras “dinheiro”, “rendimento” e “lucro” obtiveram melhores resultados
  • 64% dos consumidores que optaram pela compra acessaram o e-mail pelo celular

Os números indicam, então, que o consumidor busca no e-mail marketing a sinceridade e clareza sobre o que está sendo vendido. O texto e o assunto do e-mail podem ser bem simples e diretos, remetendo exatamente ao objetivo da mensagem. Promoções também são bem-vindas.

Vale ressaltar, no entanto, a importância do mobile para o e-mail marketing. Os celulares se tornaram uma plataforma de preferência para leitura de e-mails. Dessa forma, é preciso pensar na apresentação do conteúdo nas telas menores.

E com esses post cheio de números  informações valiosas, a série Como gerar mais leads se encerra gloriosamente. Leitores do SitePX, como sempre, são agraciados com as melhores dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso.

Categoria: Como atrair clientes, Conteúdo
Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left tsN b01e fwR bsd show|left fwR tsN show|bnull||image-wrap|news login c05|fsN fwR normalcase tsN|c05|login news fwR normalcase|tsN fwR normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||