Conteúdo

A internet para o jovem brasileiro

Publicado por Júlio Rocha em 03/02/2015 às 11h24

perfilUma pesquisa realizada pela Infobase Interativa ouviu jovens de diferentes faixas etárias e condições sociais para identificar o perfil do jovem brasileiro na internet. Considerando jovens aqueles de idade entre os 15 e 32 anos e mantendo uma proporção bem próxima entre homens e mulheres (51% e 49%, respectivamente), a pesquisa comprovou que a internet é parte fundamental da vida da maioria dos cidadãos de até 32 anos, além de revelar dados que podem ser muito úteis para o marketing.

Entender os padrões de comportamento do público jovem na internet é fundamental para determinar estratégias eficazes e que possam ajudar a tornar seu empreendimento próspero (depois de criar um site, é claro). Os pesquisadores dividiram os entrevistados em três grupos de idade, sendo eles: de 15 a 19 anos (23%), de 20 a 24 (32%) e de 25 a 32 (45%). Vale lembrar que, em breve, este público determinará o público geral da internet. Além de uma visão da situação atual da internet, o estudo permite uma projeção do futuro.

digitalQuebrando barreiras

Classes A, B e C se misturam na internet. A chamada Classe D está abaixo, porém próxima das demais. Condição social já não é mais uma barreira no que diz respeito ao acesso à internet, assim como gênero e idade. Nenhuma dessas três variáveis apresentou grande separação de usuários entre os entrevistados para a pesquisa. Dessa forma, a comunidade da web é quase tão grande e diversificada quanto aquela que habita o mundo de carne e osso.

Diferenças, porém, existem. Especialmente na forma de utilizar e se comportar na internet. Por exemplo, 61% dos jovens utilizam dois meios de comunicação ao mesmo tempo, enquanto a proporção dessa característica é de 56%, número certamente inflado pelos usuários jovens. Um dado que comprova essa dupla utilização é o fato de que 59% dos jovens está continuamente presente no WhatsApp, assim como 47% nunca saem do Facebook. Com certeza uma boa parcela desses usuários se encontra em uma intercessão.

Dedicação unânime às redes sociais

São muitas as atividades praticadas pelos jovens internautas brasileiros: jogos online (27%), leitura de blogs (38%), assistir a filmes e séries (46%), vídeos no Youtube (71%), busca de informações (84%) e muitas outras. Uma delas, porém, é quase unanimidade: as redes sociais. 90% dos jovens internautas brasileiros dedicam sua presença online às mídias sociais disponíveis na rede.

E a rede favorita é a mais óbvia, o Facebook. 96% dos jovens possuem uma conta na rede social de Mark Zuckerberg. Isso mesmo, o número de usuários do Facebook é superior ao de jovens que declaram utilizar redes sociais de forma geral. Não é um erro na pesquisa, provavelmente é um indicativo de que há certa quantidade de perfis de Facebook inativos ou pouco utilizados.

digitalEssa preferência não deve mudar tão cedo, 59% dos jovens afirmam ter certeza de que irão manter a conta ativa pelos próximos 365 dias, enquanto 31% não dão certeza mais indicam que esta é a principal possibilidade. Ou seja, apenas 10% aparentam cogitar o tal do “facebookcídio”. O que não quer dizer, no entanto, que irão realmente cometê-lo.

O tradicional ainda é forte

Segundo os dados coletados, o jovem brasileiro ainda está longe de substituir os desktops e notebooks pelos dispositivos móveis.  96% dos entrevistados afirmam se conectar através de computadores, enquanto 82% utilizam smartphones e 28% acessam a partir de tablets. Um número ainda menor é o de acessos pela SmartTV, que garante o acesso de apenas 12% dos jovens.

E se achava que a TV estava morrendo e o serviços de Streaming como o Netflix estariam prestes a substituí-la, saiba que a tv aberta e a cabo ainda são a principal plataforma para jovens assistirem a filmes, séries e novelas. 46% e 36%, respectivamente. Enquanto o Netflix ainda segura apenas 18% dos jovens. O Youtube, no entanto, se aproxima da tv por assinatura com 35%.

Já as publicações impressas, como jornais e revistas, estão realmente sofrendo com as mídias digitais. 71% dos usuários acessam jornais digitais, contra 34% que ainda leem a versão em papel. Pelo menos, a proporção de jovens que desprezam completamente os periódicos diários é de apenas 14%. No caso das revistas, a versão digital não supera tanto a física. 59% contra 43%, enquanto 19% afirmam ignorar este tipo de publicação.

Agora que você já entende o perfil do jovem internauta brasileiro na internet, é só criar um site e aplicar estratégias de marketing pensadas com base nesses dados valiosos compartilhados aqui. Para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, é só continuar acompanhando o Blog do SitePX. Até a próxima!

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

3 tendências de Marketing que merecem atenção

Publicado por Júlio Rocha em 02/02/2015 às 12h21

tendências para o futuro do marketing digital

O Google – esta entidade onipresente da internet – utilizou seu próprio mecanismo para enxergar quais são as principais tendências para o marketing este ano. Verificando os termos mais buscados pelos consumidores e utilizando um trabalho de pesquisa e análise de dados, o Google identificou três frentes de ação para o marketing que devem dar bons frutos para aqueles que a explorarem em 2015. Pense que, ao criar um site, é bom começar a estudar o que fazer para torná-lo um site de sucesso. Com o post de hoje do SitePX, certamente irá aprender bastante.

E não são previsões especulativas e mirabolantes completamente desconexas. As três tendências são baseadas em tecnologias que já estão se popularizando entre o público doméstico. Logo, essas três tendências apontadas pelo Google parecem extremamente viáveis e realistas. Se você está prestes a criar um site, ou já criou, fique atento e planeje as melhores estratégias de marketing para fazer sua empresa crescer.

1. Internet das coisas

Internet das coisasA Internet das Coisas é uma teoria bastante discutida atualmente que analisa a presença constante de conectividade em objetos do cotidiano. Ou seja, a tendência é que em breve tudo esteja conectado, desde um calçado até os eletrodomésticos da cozinha. Dessa forma, os objetos se comunicarão entre si para proporcionar praticidade e entretenimento aos usuários. Alguns dados do Google que comprovam a presença da Internet das Coisas:

  • O número de pesquisas pelo termo Internet das Coisas cresceu 2,5 vezes em 2014
  • A procura por acessórios de vestimenta tecnológicos subiu 3 vezes, especialmente entre os mais preocupados com saúde
  • 28% foi o crescimento da procura por Smart TVs – aquelas que se conectam a internet – ultrapassando outros modelos
  • 1,6 milhões de horas de vídeos foram assistidos de dispositivos automotivos
  • O aumento de procura por lâmpadas inteligentes cresceu 36%
  • Estima-se que 4,9 bilhões de objetos estarão conectados à internet em 2015

E como isso afeta o marqueteiro, então? Pois estes objetos conectados geram informações valiosas sobre preferências e comportamento dos usuários que podem ser utilizados em estratégias de marketing. Assim, é possível otimizar o alcance e força de campanhas publicitárias e anúncios.

2. Internet das pessoas

Ou “internet de mim”, é uma adaptação da teoria do tópico anterior. O termo se refere à presença crescente de cada indivíduo na internet e da internet em cada indivíduo. Hoje, as pessoas estão conectadas e buscam na internet a praticidade e personalização da navegação. Ou seja, uma internet que entenda suas individualidades e se adapte para melhor atendê-lo. Vamos aos números?

  • 1,3 bilhões de smartphones ativos globalmente
  • O público americano dedica 151 minutos diários aos smartphones, superando o tempo gasto com TV e computadores
  • Uma em cada cinco buscas do Google são relacionadas a localizações
  • As buscas por localidades próximas cresceram cinco vezes no ano
  • Aplicativos de saúde foram 12 vezes mais procurados
  • A busca pela tecnologia NFC – que permite comunicação direta entre dispositivos – cresceu 1,5 vezes

E no que isso vai mudar a vida de quem vai criar um site? Pois a partir do momento em que você se insere no mundo do marketing digital, é importante proporcionar aos internautas a melhor navegação móvel possível. Além disso, os números reforçam a importância de utilizar a internet para fortalecer seu negócio localmente.

3.1 A vida mais rápida

marketing deve saber que o público não esperaO usuário da internet perdeu o hábito de esperar. Para assistir um episódio de seriado já não é preciso esperar o momento certo da programação. Não existe a necessidade de esperar chegar em casa e abrir o jornal para ter acesso às notícias do dia. Mesmo as enormes filas de banco já podem ser evitadas – ainda que não completamente – graças à internet. Veja algumas tendências que comprovam essa “necessidade de velocidade”:

  • Câmeras compactas de alta definição tornam rápida a captura de momentos
  • A categoria de Câmeras e Fotos viu suas buscas crescerem nas áreas de Alta definição (25%), Compactas (42%), Resolução 4K (142%) e Drones (270%)
  • A tecnologia de drones equipados com câmeras e controlados por controle remoto já atingiu o mercado doméstico
  • A procura por drones cresceu 2,6 vezes no último ano
  • 800 mil horas de vídeos gravados por drones foram assistidos no Youtube em novembro de 2014
  • A busca por entregas realizadas no dia da compra dobrou em comparação a 2010
  • O aplicativo de busca do Google é utilizado 30 vezes mais por voz do que por texto

Para o marketing, fica a mensagem: o consumidor não quer esperar por nada. Se possível, é necessário oferecer suporte 24h e sete dias por semana. Entregas devem ser rápidas, de preferência no mesmo dia. E qualquer tipo de interação dever ser rápida, ágil e prática. Assim como criar um site no SitePX.

Com essas três frentes de ataque para o marketing digital da sua empresa em mente, será mais fácil desenvolver estratégias que alcancem e envolvam seu público potencial. Nos dias de hoje, a força de uma marca está na sua presença digital e na capacidade de inovar. Continue acompanhando o Blog do SitePX para mais dicas de marketing, empreendedorismo e como criar um site de sucesso. Até a próxima!

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

O que aprender com uma campanha frustrada?

Publicado por Júlio Rocha em 30/01/2015 às 11h22

Uma campanha frustrada pode gerar raiva

Um fato triste, porém saudável, da publicidade e do marketing digital é que campanhas fracassam, é como criar um site que não obtenha sucesso. O mercado é competitivo e o público é volátil, o fracasso de uma campanha não significa a inabilidade do marqueteiro ou do publicitário. Porém, o estresse causado pela frustração de não obter o sucesso esperado faz com que logo as discussões comecem e cada participante jogue a culpa para o outro, como uma batata quente. O segredo é segurar as acusações, olhar para o seu trabalho e descobrir onde você errou.

O problema é encarar o erro como um prego no caixão de sua carreira no marketing. Um erro pode ser extremamente útil e positivo até quando você for criar um site. Apenas errando é possível entender que sua visão do público talvez não esteja tão precisa quanto já foi ou que novos veículos e novas tecnologias pedem diferentes trabalhos. O empresário Ephraim Bander, dono da companhia Sitcky de tecnologia de propaganda digital, deu quatro dicas importantes para identificar o erro e aprimorar próximas campanhas. O SitePX teve acesso a elas e compartilha com vocês:

  1. Pare de transferir a culpa

Enxergar o erro é fundamental para o sucesso da campanhaO redator culpa o designer, que culpa o diretor de marketing, que culpa a senhora da limpeza que, por sua vez, culpa o analista de dados por usar o banheiro sem dar descarga e, ainda por cima, sair sem lavar as mãos. E sabe o quanto essa brincadeira ajuda? Em nada. Apenas desvia o foco do verdadeiro erro e cria a desunião em uma equipe que sempre trabalhou bem e possuía boa química.

Bander diz que o erro pode ser algo muito mais simples e comum: a campanha simplesmente não foi vista. O americano fala sobre o conceito de viewability – que ainda não recebeu uma boa tradução para o português – e explica como esta nova métrica está afetando as novas campanhas.

  1. Pesquise publicadores e seus anunciantes

Faça uma boa pesquisa de campo, estude o comportamento e o desempenho de diversos publicadores – sites que publicam publicidade – e com quais anunciantes trabalham. Assim, é possível compreender quais são os principais publicadores e, por consequência, os principais anunciantes. Com o estudo dedicado, logo será possível identificar quais são os padrões de trabalho dos mais importantes nomes da área. Além, é claro, de separar os canastrões.

  1. Estude a viewability dos publicadores

O bom marketing precisa ser vistoAgora vamos à definição breve do conceito de viewability. O termo estrangeiro se refere ao quanto é visto de um anúncio na web. O mínimo aceitável, segundo especialistas do Google, é de 50% dos pixels por segundo. De acordo com as pesquisas realizadas por eles, 56% dos anúncios publicados em sites passam completamente despercebidos pelos usuários. Por isso, o conceito de viewability foi desenvolvido, para funcionar como uma nova métrica que possibilite anunciantes estudarem o impacto de suas propagandas.

E o que exatamente afeta a viewability? Especialmente ao criar um site com problemas de diagramação e má qualidade de servidores. Por exemplo, se for necessário descer a barra de rolagem para visualizar o anúncio, a viewability já é prejudicada. Assim como a demora para carregar a publicidade pode fazer com que o internauta saia da página antes de visualizá-la. A partir de agora, sempre que entrar em um site procure os anúncios e repare se eles carregam rápido e estão bem localizados na página.

  1. Não compre espaço sem dados

Quando for comprar espaço para anúncio – seja você empregado de uma agência ou o próprio anunciante – peça para o publicador todos os dados e métricas que são importantes para a campanha. Não apenas o clássico mídia kit com informações demográficas básicas sobre o público do site e suas características.

É preciso dados sobre o tempo de carregamento das páginas (para evitar situações como a mencionada no tópico anterior), comportamento do usuário ao acessar o site, audiência de páginas internas, conteúdos com mais cliques, visualizações de anúncios... Quanto mais souber sobre o publicador, melhor será o desempenho de uma campanha. Além de permitir a identificação de bons lugares para anunciar.

Após criar um site para sua empresa, será necessário um trabalho de publicidade e divulgação. O Marketing Digital tem trazido muitas conquistas para empreendedores. Porém, é preciso estar preparado para o fracasso de uma campanha. Com as tecnologias em um estado constante de evolução e modificação, é comum que erros que antes não existiam frustrem alguns esforços. Para prosperar, deve-se encarar o erro com maturidade e estudar novas possibilidades com a sua equipe.

Uma boa fonte de estudo é o Blog do SitePX, por exemplo. Aqui são compartilhadas notícias e dicas para a prosperidade no mundo digital. Então, para mais dicas de como criar um site de sucesso , é só continuar acompanhando o blog e ler as postagens anteriores. Até a próxima!

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

É hora de investir em Marketing Digital

Publicado por Júlio Rocha em 29/01/2015 às 11h28

Marketing digital é a aposta dos empreendedoresO que os maiores empreendedores e marqueteiros do mundo digital pretendem fazer em 2015? Segundo pesquisa realizada pelo site Mondo, irão investir mais em Marketing Digital. 80% dos mais de 200 profissionais entrevistados afirmam que pretendem aumentar os investimentos de marketing voltado para internet. Os empreendedores afirmam que devem aumentar o orçamento em até 10%. E além de falar de valores, a pesquisa revelou tendências para o futuro que começarão a ser exploradas em breve. Para não deixar você de fora, o post de hoje do SitePX é sobre o futuro do Marketing Digital!

Primeiramente, é importante entender qual é o objetivo desses empreendedores ao investir em marketing. De acordo com a pesquisa, o objetivo principal da maioria dos entrevistados é impulsionar vendas, o que – logicamente – faz muito sentido. Porém, outros dois objetivos vêm logo em seguida indicando um novo paradigma do mundo dos negócios online: engajar consumidores e tornar-se líder em seu mercado. Se o objetivo primário já existe desde antes da internet, os outros dois se tornaram mais comuns com a popularização da internet e das redes sociais.

E a principal área a ser desenvolvida com esse investimento maior é a de dispositivos móveis e interatividade digital. Com a crescente popularização de smartphones e outros aparelhos portáteis que se conectam à rede, os chefes de marketing entendem que esta pode ser a área mais promissora no momento. Outras prioridades são as mídias sociais, análise de dados, construção e criação de sites e SEO. Ou seja, quem ainda não tem irá criar um site e terá que aprender como criar um site de sucesso e investir em todos os mais importantes seguimentos do Marketing Digital.

Os veículos nos quais os profissionais apostam mais fichas são as plataformas móveis e os vídeos. Podendo escolher mais de um, 70% dos entrevistados acreditam que os smartphones são a forma mais eficaz de engajamento. Logo em seguida vêm os vídeos com 61% da confiança dos entrevistados. E-mail, sites, SEO e mídias sociais são as outras apostas. A maioria acredita que todos esses veículos serão ainda mais importante para o engajamento nos próximos cinco anos.

Novo mercado de trabalho

O profissional de marketing digital é muito prouradoNão à toa, 98% dos entrevistados acreditam que o trabalho do profissional de marketing está mudando – e mudará ainda mais. Inclusive, as empresas estão mudando a postura em relação à contratação de marqueteiros. Além do corpo fixo de profissionais contratados, as empresas planejam aumentar o número de freelancers atuando ao seu favor. Segundo os entrevistados, este tipo de profissional se mostra vantajoso pela flexibilidade de horário e da qualificação apresentada.

Estima-se que até 2017 as empresas estarão investindo mais dinheiro em marketing digital do que em tecnologia. Hoje, o valor investido em mídias digitais e sociais já é de um terço do orçamento de marketing das empresas. Porém, os chefes ainda enxergam barreiras que dificultam a contratação. Estas seriam, principalmente, a dificuldade de encontrar profissionais qualificados, o custo do bom profissional e a adaptação à cultura de trabalho única do Marketing Digital.

E a sua empresa, já começou a investir? Seu negócio já recebe tratamento especial de SEO e mídias sociais? Confie nos mais de 200 chefes de marketing e empreendedores que responderam a pesquisa. O primeiro passo é criar um site, depois é analisar quais veículos e estratégias melhor se adequam ao seu empreendimento. Em seguida aplique as táticas que você tem aprendido com o Blog SitePX.

Para mais dicas de empreendedorismo, Marketing Digital e como criar um site de sucesso, continue acompanhando as postagens!

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

O que o consumidor vê em seu site?

Publicado por Júlio Rocha em 28/01/2015 às 11h06

O consumidor possui padrões de comportamento

Cada ser humano possui suas individualidades e particularidades, é só reparar que cada um prefere criar um site de um jeito diferente. Mas, ao mesmo tempo, existem algumas características que podem ser encontradas em uma esmagadora maioria de indivíduos. E muitas delas – talvez a maioria – são de comportamentos involuntários. Uma pesquisa relatada pelo site Crucial estudou algumas dessas involuntariedades relacionadas ao comportamento na web e levantou alguns dados muito interessantes para empreendedores no meio digital. Para ajudar na missão de como criar um site de sucesso, o SitePX compartilha essas informações agora!

Lendo outros posts do Blog SitePX, fica claro que a presença digital faz toda a diferença no momento de conquistar o consumidor. O Crucial confirma isso com alguns dados numéricos interessantes:

  • 89% dos consumidores pesquisam na internet antes de tomar uma decisão
  • 60% visitam a página oficial da marca – ou produto – antes de realizar a compra
  • 75% dos internautas afirma julgar a credibilidade de uma marca a partir do design do site

Mas não precisa se desesperar em relação ao design! O estudo analisou, justamente, o que um usuário espera da aparência de um site.

Mais rápido que uma piscada

O consumidor observa muito rápidoUma piscada involuntária dura algo entre 100 e 400 milissegundos. Ou seja, entre 10 e 40% de um segundo. Muito rápido, não é? Mas sabe o que é ainda mais rápido? O tempo que o internauta leva para decidir se seu site é atraente ou não. Essa decisão ocorre entre 17 ou 50 milissegundos. No máximo 5% de um segundo! Claro, que isso tudo se passa em um nível subconsciente.

A primeira impressão de um consumidor ao visitar um site é formada em 2,6 segundos, que é o tempo necessário para o leitor encontrar o elemento crucial para formar essa impressão. Afinal, 94% da primeira impressão do internauta é baseada no design. Segundo o Google Research Blog, é necessário equilibrar as doses de complexidade e experimentação.  Se o visual do site for muito diferente do que o consumidor espera, a primeira impressão será negativa. Assim, não tema utilizar alguns clichês e lugares-comuns na aparência do site.

O estudo analisou também quais são as áreas que mais seguram a atenção do leitor. É importante compreendê-las para saber como organizar as informações na home de seu site. Para facilitar a compreensão, veja a lista em ordem decrescente:

  • 6,48 segundos na logomarca do site
  • 6,44 segundos no menu de navegação
  • 6 segundos na caixa de busca
  • 5,95 segundos nos links para redes sociais
  • 5,94 segundos na imagem de destaque
  • 5,59 segundos no conteúdo escrito
  • 5,25 segundos na parte inferior do site

Lembrando que o padrão de leitura do público ocidental é de cima para baixo e da esquerda para a direita, é possível saber quais são os elementos mais importantes e onde colocá-los. Não se preocupe, no entanto, em colocar todos os elementos principais logo no topo do site. O estudo indica que o usuário padrão não tem problemas em usar a rolagem do site.

Segundo as estatísticas, os internautas usam o scroll do mouse em 76% das páginas visitadas e chegam a dedicar até 66% da atenção ao conteúdo localizado logo abaixo da dobra de uma página normal. Mas, de fato, a parte mais inferior da página não recebe atenção. Apenas 22% das páginas acessadas são visualizadas até o fim da rolagem.

Nunca se esqueça do mobile

Criar um site mobile é importanteComo bastante mencionado em outras postagens, a pesquisa aponta que a presença e aparência em dispositivos móveis são de extrema importância para decidir se o site é confiável ou não. Segundo o estudo, 67% dos usuários afirmam que consideram a aparência móvel do site um fator importante para decidir sobre a compra ou não de um produto. E mais: 48% dos internautas que tiveram uma experiência negativa com a plataforma móvel atribuem o problema à falta de vontade da empresa. E, para fechar, 62% das empresas confirmam ter notado aumento de vendas após disponibilizarem um site com responsividade.

Ainda bem que, para usuários do SitePX, não há necessidade de se preocupar com o layout mobile ao criar um site. Afinal, todos as páginas do SitePX são automaticamente adaptadas para apresentar boa responsividade e mobilidade. Pode conferir!

Para mais dicas de empreendedorismo online e como criar um site de sucesso, continue acompanhando o Blog SitePX.

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

Metade dos brasileiros tem acesso à internet

Publicado por Júlio Rocha em 27/01/2015 às 10h52

Brasileiros dominam a internet

Segundo dados lançados pela agência de marketing We Are Social, 54% dos brasileiros possui acesso à internet. Pelo menos essa era a fração na virada do ano. Se por um lado isso é pouco perto dos 93% do Canadá (que detém a maior porcentagem do ano), por outro quer dizer que são 110 milhões de brasileiros acessando a internet diariamente. E passando por outros dados do relatório, é possível ver como a internet é importante para o Brasil. E qual será atividade favorita dos nossos conterrâneos? Criar um site? Ouvir músicas? Este é assunto do post de hoje do Blog do SitePX.

Redes sociais são a preferência do brasileiroPrimeiramente, vale ressaltar que o brasileiro tem o terceiro maior tempo de internet por dia no mundo, pelo menos quando se fala em acesso via desktops ou notebooks. São 5,4 horas diárias de internet, ficando logo atrás da Tailândia e das Filipinas. Já o tempo gasto com internet móvel é um pouco menor, mas já garante a quarta colocação do ranking. 3,8 horas diárias do brasileiro são dedicadas ao acesso de internet por smartphones e tablets. Os campeões dessa categoria são México, Argentina e Arábia Saudita.

Mas, afinal, o que tanto fazemos na internet? Redes sociais, caro leitor. 47% dos brasileiros possuem e movimentam contas em redes sociais. Ou seja, praticamente todos os usuários de internet no país participam ativamente dos círculos sociais virtuais. E a rede líder, no momento, é o Facebook. 25% dos internautas estão cadastrados e acessam a rede diariamente. Outra área forte, no entanto, são os aplicativos de conversa. What’sApp, Facebook Messenger e Skype ocupam os lugares logo abaixo do Facebook no ranking das plataformas sociais preferidas pelos brasileiros – com 24%, 22% e 14%, respectivamente.

Um padrão mostra que irá mudar em breve, no entanto. Apesar da maior parte dos acessos ainda virem de plataformas tradicionais (77% de acesso vindos de desktops ou laptops), o número vem diminuindo 12% de ano em ano. Enquanto os acessos de plataformas mobile subiram 109%, atingindo a marca de 20%. A diferença ainda é grande, mas deve diminuir drasticamente em um curto intervalo de tempo. Provavelmente, o número ainda é decorrente dos preços altos do país e não da preferência do povo.

Resumindo: ainda que o Brasil precise correr e investir muito em infraestrutura para apresentar uma conectividade tão boa quanto a de países mais desenvolvidos. O brasileiro mostra ser um entusiasta da internet, especialmente no que toca as interações sociais. É importante estudar esses dados para entender o público do nosso país. O que eles fazem na internet? Que tipo de marketing os afeta? Como criar um site que ofereça tudo o que procuram? É claro que para essas respostas é necessário também testar e se comunicar.

E que forma melhor de aprender do que criar um site e se aventurar na internet e nas redes sociais? Lembre-se que, com o SitePX, tudo fica muito fácil. E, claro, para mais dicas de como criar um site de sucesso ou ser um bom empreendedor no mundo digital, continue acompanhando o Blog do SitePX.

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

Storytelling: histórias que vendem a sua marca

Publicado por Júlio Rocha em 26/01/2015 às 11h15

storytellingStorytelling é a arte de contar uma boa história. Não importa qual seja o contexto, uma história bem contada e com bom conteúdo sempre chama atenção. É como criar um site de sucesso! Além de mais um termo gringo no meio digital, o Storytelling é um ótimo e interessante recurso de marketing para empresas e marcas que desejam conquistar seu público. Como o nome sugere, a estratégia consiste no ato de contar uma história que envolva e cause identificação nos leitores. Existe uma série de técnicas e fatores que combinam elementos da literatura e do texto publicitário e de marketing. Com o post de hoje do Blog do SitePX, você vai entender o que é o Storytelling e como ele pode ser útil para vender sua marca, tornar sua empresa conhecida ou até ao criar um site e todo o seu conteúdo.

storyPara começar, atente-se ao seguinte detalhe: o “Story” e não “History”. Pensando em português mesmo, lembre-se da origem das palavras “história” e “estória”. A primeira faz referência à ciência responsável pelo estudo do passado e a reconstrução de uma realidade que já passou. Já estória, com e, é uma palavra muito antiga e quase não é mais utilizada, ela se refere à ficção, às narrativas fantasiosas, aos “causos”. E é deste segundo conceito que o Storytelling se aproveita. O que, de jeito nenhum, quer dizer que você precise inventar todas as histórias que for contar.

Às vezes é necessário mais do que uma boa história real para fazer com que os leitores se identifiquem com o conteúdo. O mais importante é uma boa narrativa, por isso elementos da ficção são bem-vindos. Outro elemento importante do Storytelling moderno é a narrativa multimídia, mas falaremos dela mais para frente.

Clichês da ficção para o bom marketing

Escolha do caminho na narrativa multimídiaDesde sempre a ficção é utilizada como uma forma especial de contar a realidade. Basta estudar as histórias da mitologia grega e logo verá que cada mito e cada personagem foram pensados de forma a passar uma mensagem ou ensinamento para o público, no marketing não é diferente. Conheça alguns clichês (no bom sentido!) da ficção que podem e devem ser utilizados para um bom Storytelling:

  •          Jornada do herói – Recurso famoso das histórias mitológicas, já foi explorado aos montes na ficção: O Senhor dos Anéis, Star Wars e Matrix são exemplos de narrativas construídas sobre este molde que consiste na jornada de uma pessoa normal que recebe o chamado para uma aventura e, apesar de aceitá-la com relutância, supera uma série de dificuldades e, ao final de tudo, cumprem seus objetivos com o aprendizado gerado pela jornada.
  •          Jornada do idiota – É a história daquele que errou bastante antes de superar suas dificuldades. A história do “idiota” geralmente é utilizada como exemplo para a importância da perseverança e do aprendizado na superação de obstáculos.
  •          Da lama à fama – A história de uma pessoa que vivia cercada de adversidades até o momento em que faz uma descoberta – ou realiza uma ação – que a destaca entre os outros na mesma situação. Este clichê mostra que não importa a dificuldade, pessoas com talento e capacidade podem crescer e evoluir.

Existem muitos outros clichês, é claro. Mantendo um bom repertório de obras de ficção, eles logo poderão ser observados. Utilize-os com criatividade e uma roupagem nova para contar uma história boa e de fácil identificação.

 

Narrativa multimídia

storyComo mencionado antes, este é um dos principais conceitos do Storytelling no mundo digital.  A possibilidade de contar uma história que transcenda as limitações de seu veículo é um fator que dá poder ao Storytelling Transmídia.

Pense que o público da internet não é um típico leitor, que aprecia todos os textos com que se depara. Pesquisas apontam que 79% dos usuários apenas passam os olhos sobre o texto em busca de palavras-chave que captem sua atenção. Ao fazer um site, como fazê-los ler seu conteúdo?

Primeiro, deixe seu texto bonito e chamativo. Pense num bom título e subtítulos interessantes, Selecione palavras e expressões fortes do seu texto e as destaque com um negrito. Porém, o que realmente atrai e segura os leitores são os recursos de imagem, como fotos, vídeos, infográficos e slideshows.

Outros dados numéricos interessantes: conteúdo de marketing com recursos multimídia dão até 77% mais retorno e postagens em blogs que contenham um vídeo podem receber até 3 vezes mais links. Nada mal, não é?

Agora que você já entende o conceito de Storytelling, dos clichês de ficção e da narrativa multimídia, está na hora de aplicar isso tudo ao seu empreendimento. Após criar um site com o SitePX, comece a publicar conteúdo que utilize as técnicas e estratégias citadas neste texto. O sucesso vem em seguida!

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

Por que criar um site para dispositivos móveis?

Publicado por Júlio Rocha em 22/01/2015 às 10h56

Não existe tempo ruim para dispositivos móveisHá, pelo menos, cinco anos que a internet se desprendeu dos computadores fixos em salas e escritórios e passou a dominar todos os espaços possíveis. Agora, criar um site já não se deve ser feito pensando no antigo usuário de internet, que dedicava um momento especial de seu dia para navegar, ler e-mails e qualquer outra atividade online que sentisse vontade ou necessidade. Hoje, a realidade é outra. Entenda porque é tão importante criar um site adaptado para dispositivos móveis (ou mobile, para quem gosta dos termos gringos).

Smartphones, tablets, e-readers, videogames portáteis e qualquer outro dispositivo que possua uma tela e caiba em uma bolsa ou mochila se tornaram um ponto de acesso à internet. Seja por meio de uma conexão wi-fi ou redes móveis – como o 3G ou 4G – hoje ninguém deixa de acessar a internet por não estar em casa. Assim, redes sociais são atualizadas dentro de ônibus, blogs são lidos em aulas chatas da escola ou faculdade, nem mesmo para ir ao banheiro os internautas dão uma pausa. Então, caro leitor, como pode um sábio empreendedor online não colocar sua marca em todos os lugares possíveis?

Na verdade, não pode. Não se o sucesso for um objetivo, pelo menos. De nada adianta fazer um site ou criar um blog se ele não for acessado pelos internautas. E, infelizmente, para receber os acessos é preciso que ele queira ler. Entrar em um site pelo celular e se deparar com os layouts tradicionais para desktops é uma experiência frustrante, pois é necessário utilizar zooms e rolagens de tela excessivas para a leitura e contemplação do conteúdo. Ou seja, se não houver responsividade mobile, este tipo de usuário logo abandonará seu site. Acha que pode viver sem eles? Pois confira os números abaixo (levantados pelo próprio Google):

  • 43 milhões de brasileiros – número que aumenta constantemente – acessam a web através de smartphones
  • Desses 43 milhões, pelo menos 3,8 milhões tiveram seu primeiro acesso à internet através de um smartphone
  • 89% dos usuários utilizam dispositivos móveis para pesquisar informações, serviços e empresas locais
  • 32% dos usuários consideram uma frustração acessar um site que não é exibido corretamente em seus smartphones ou tablets
  • 30% dos usuários brasileiros realizam compras por dispositivos móveis

Talvez você pense “32% nem é tanto assim”. Pois experimente calcular 30% de 43 milhões. O resultado vai ser um número grande demais para ignorar, não é? E se a sua marca é voltada para o público entre 18 e 34 anos, o cuidado com o mobile deve ser redobrado, pois essa faixa etária é responsável por 48% dos acessos.

Público jovem é o que mais utiliza o mobile

Estou convencido, então como devo criar um site mobile?

E aí, leitor e usuário do SitePX, que a porca NÃO torce o rabo. Todo site feito em SitePX é automaticamente ajustado para oferecer o melhor visual e responsividade para dispositivos móveis. Exatamente, sem complicação e dor de cabeça. O único conselho que fica é sempre verificar como seu site está aparecendo em tablets e smartphones. De vez em quando alguma imagem pode ficar grande demais e quebrar a diagramação. Nesses casos, é só reajustar o tamanho ou até contatar a equipe do SitePX para sanar suas dúvidas.

Agora que já sabe a importância de estar presente nesta área da internet e que o SitePX garante isso para você, tá esperando o que para criar um site que pode ser lido em ônibus, filas, restaurantes, banheiros e qualquer outro lugar do mundo?

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

6 táticas de marketing para influenciar consumidores

Publicado por Júlio Rocha em 21/01/2015 às 11h20

Persuadir não é controlar

Mesmo que você saiba como criar um site sobre hipnose. Não, não ensinaremos controle da mente aqui, é muito perigoso. Mas este texto é sobre algo ainda mais útil (e mais simples, também): conhecer o comportamento humano para influenciar e persuadir consumidores usando estratégias de marketing adequadas. Não encare isso como uma forma fria e calculista de manipulação e, sim, como uma forma de fazer potenciais clientes se identificarem com a marca e sentirem conforto em realizar as transações propostas. Sem mais delongas, vamos às táticas que você pode utilizar ao criar um site com o SitePX:

Autoridade

Este conceito está diretamente ligado à criação de reputação. Sabe quando você entra no consultório de um médico e vê na parede da recepção todas os diplomas e certificados que o profissional arrecadou durante a carreira? Pois é assim que você sabe que o sujeito é autoridade na área e sentirá confiança para contratar seus serviços.

Simples, não? Assim como você sabe que o SitePX é referência em como criar um site, seus clientes precisam saber porque você é autoridade em sua área. Uma das formas mais simples de persuadir é, simplesmente, mostrar que você sabe o que faz.

Reciprocidade

Garçom bom de marketingEste conceito consiste em fazer com que as pessoas retornem algo que tenham recebido. Para ilustrar, entenda a história de um garçom que usa o marketing para persuadir:

Sempre que ia levar a conta para um cliente, o garçom deixava junto uma balinha de menta. Por ser bom de estatística, o sujeito logo percebeu que suas gorjetas aumentaram em 3%. Por ser bom empreendedor, não quis parar por aí. E se desse duas balas? Pois bem, o garçom fez o teste. E, olhe só, suas gorjetas subiram 14%! Mas, agora, é que vem a jogada de craque: ele passa a dar apenas uma balinha, vira como se fosse sair e, de repente, voltar e diz para o cliente “você é uma pessoa legal, pegue mais uma”. Extremamente satisfeitos, os clientes logo garantiram que sua gorjeta fosse 23% maior. E o garçom se tornou o atendente favorito de todos.

Qual a moral da história? É preciso saber tratar seus clientes. Não apenas seguir as normas de etiqueta e bom atendimento. Torne-se um amigo, faça-os sentir-se especial. E, claro, surpreenda o cliente com um agrado inesperado.

Então como faço um site ter sucesso? Use essa mesma dica e verá que é possível.

Escassez

Uma característica humana é o medo de perder alguma coisa. E isso não se aplica apenas a perda de uma pessoa próxima ou um objeto de valor. Só a possibilidade de perder algo, mesmo que seja algo que nem sabia que possui, já é aterrorizante. E é dessa característica que o conceito da Escassez utiliza para influenciar. Vamos ao exemplo:

Alguns disseminadores do caos contam a história de que em 20 anos a produção de chocolate não dará conta da demanda e o doce se tornará uma especiaria rara. E por que isso seria um caos? Porque já foi testado aos poucos.

Uma loja famosa por seus chocolates de receitas variadas anuncia que determinada barrinha deixará de ser comercializada em breve por falta de procura. E o que acontece de repente? A procura duplica, ou mais!

Ou seja, às vezes é melhor não dizer o que a pessoa pode ganhar e sim o que ela corre o risco de perder.

Ao invés de dizer "ganhe um site grátis", diga: "Não perca a chance de criar um site gratuitamente".

Consistência

A consistência é a estratégia de marketing que se baseia nos pequenos passos de cada vez. E por que isso é importante para influenciar e persuadir? Pense no exemplo:

Uma agência de marketing precisa da ajuda de moradores de uma vizinhança. Parte da campanha consiste em colocar placas em cada quintal. Obviamente, isso não pode ser feito sem autorização. Porém, apenas 20% dos moradores concordaram com o pedido da agência.

Já em uma vizinhança próxima a essa, outra agência com uma campanha parecida possuía a mesma necessidade. Porém, antes de pedirem autorização para fixar as placas, os marqueteiros pediram algo menor. Apenas um cartão postal na janela. Na semana seguinte, retiraram o cartão postal e pediram para colocar as placas. Resultado: 4 vezes mais moradores aceitaram o pedido. Por quê?

Por que os marqueteiros muito inteligentes primeiro garantiram que os vizinhos entendessem a campanha e se acostumassem com a ideia. Assim, foi muito mais fácil convencê-los. Um construtor de sites também funciona assim. E é assim que esse blog reforça a ideia de fazer um site de sucesso seguindo nossas dicas.

Gostos em comum

O bom vendedor entende marketingEste item já começa com um exemplo:

Duas universidades diferentes realizaram ao mesmo tempo um estudo de estratégias de venda. A primeira resolveu testar o princípio de que o tempo é valioso e instruiu os vendedores a ser o mais rápido possível para conseguir mais vendas. Qual o resultado? Mesmo com boa lábia, os vendedores obtiveram apenas 55% de aproveitamento. Os outros 45% não fecharam a compra. “Pelo menos foi mais da metade”, talvez você esteja pensando agora. Mas veja como a outra instituição se saiu.

Os outros vendedores foram instruídos a passar mais tempo com cada cliente e descobrir o que puder sobre ele. Assim, eles conseguiram descobrir gostos, opiniões, visões políticas e até as religiões de cada cliente. E no que isso ajudou? Logo os vendedores puderam encontram um lugar comum, de interesse dos dois, e, assim, criar uma relação mais pessoal com o consumidor. Resultado final: 90% de sucesso de vendas.

O que aprender com isso?

Aprenda que é importante conhecer seu público, estabelecer pontos comuns e, assim, conquistar sua confiança e lealdade.

Consenso

Outra característica humana é a necessidade de se encaixar. Ou, pelo menos, de saber o que a maioria faz antes de tomar decisões. Foi pensando nisso que um hotel utilizou estratégias de marketing para influenciar clientes e resolver um problema:

O fato de que muitos clientes utilizavam as toalhas do hotel apenas uma vez já solicitavam novas estava gerando gastos excessivos e desnecessários para a empresa. Afinal, gasta-se com água e produtos de limpeza para poder realizar as trocas das toalhas. Para tentar resolver o problema, colocaram em cada banheiro uma placa com os dizeres “por favor, reutilize as toalhas antes de solicitar novas”.

Alguns clientes acataram ao pedido, cerca de 30%. Porém, muito mais da metade continuava cometendo o desperdício. Então, o marketing entrou em ação. O gerente do hotel solicitou novas placas que dessa vez diziam “75% dos clientes deste hotel reutilizam toalhas antes de solicitar novas”. E, assim, o número de clientes que evitam o desperdício aumentou em 33% e praticamente atingiu a marca dos 75% indicados na placa.

Essa história mostra que as pessoas tendem a confiar na opinião da maioria no que diz respeito à tomada de decisões. Assim, é importante sempre mostrar o que os outros pensam sobre o assunto.

É hora de testar

Agora que você conhece essas táticas fenomenais de como persuadir e influenciar consumidores, é possível criar um site e pô-las em prática. Com as ferramentas e dicas do SitePX, o sucesso só depende de sua vontade e esforço.

Fonte: http://everreach.co.uk/resources/infographic-how-to-persuade-and-influence/
Categoria: Conteúdo
Compartilhar

Você sabe o que é Inbound Marketing?

Publicado por Júlio Rocha em 20/01/2015 às 11h14

Inbound Marketing ou o 'novo makerting'

Antes de explicar o que é o Inbound Marketing, vamos sucintamente falar do Outbound Marketing. Este é aquele marketing tradicional, praticado desde antes das mídias sociais possuírem a força de hoje ou mesmo antes de alguém aprender como criar um site. É o marketing caro e mecânico, voltado para ações publicitárias. Se, por um lado, ele sempre foi uma opção segura para empreendedores, por outro, ele é muito caro e não se adequa tão bem ao público de internet quanto Inbound Marketing, assunto do post de hoje do blog SitePX.

Vamos começar pela aulinha de inglês: a tradução do termo outbound quer dizer “algo direcionado para fora” enquanto o inbound é “algo direcionado para dentro”. Essa diferença é a base para o entendimento. Enquanto o Outbound Marketing funciona como um canal de comunicação unidirecional, sendo que a empresa faz o contato com o público, o Inbound Marketing é um formato interativo que tem como objetivo atrair o cliente para a marca. Não à toa, o Inbound vem sendo chamado de “novo marketing”.

O novo marketing tem atraído interesse especial dos empreendedores por estar custando até 62% menos do que o tradicional e estar, de fato, mostrando resultados positivos. E que resultados? Prepare-se para os números:

  •          41% das companhias B2B (empresa para empresa) já adquiriram clientes pelo Facebook
  •          Já para companhias B2C (empresa para cliente) o número sobe para 67%
  •          57% das empresas adquiriram pelo menos um cliente através do Blog e 42% através do Twitter
  •          72% dos executivos de empresas afirmam que as mídias sociais contribuem para o fechamento de negócios
  •          As ações de Inbound Marketing geram retorno médio de 275% do valor investido

E como eu começo a fazer Inbound Marketing?

Variedade de conteúdo é fundamentalSão quatros os alicerces que sustentam o Inbound Marketing: e-mail, SEO, blogs e mídias sociais (não necessariamente nesta ordem). O e-mail é o contato mais formal da empresa. É por ele que deve ser feito toda a negociação e as etapas da venda do produto. Além disso, a utilização de e-mail marketing pode ser uma ferramenta importante para a divulgação de conteúdo.

O SEO – ou Search Engine Optimization, assunto recorrente aqui no blog – é um conjunto de técnicas para manter o conteúdo do seu site (ou blog) sempre bem posicionado nos mecanismo de busca, como o Google. Sabia, por sinal, que a ferramenta de criação de sites do SitePX oferece dicas e suporte de SEO?

E é no blog que você aplica esse tal de SEO. O blog corporativo é uma das principais ferramentas do Inbound Marketing. É a partir dele que muito futuros clientes conhecerão sua empresa e, possivelmente, será ele que os fidelizará. Produzindo bom conteúdo com regularidade, sua marca ganhará reputação e valor. Reforçando: o conteúdo deve ser realmente bom!

Já as mídias sociais são mais que a cereja do bolo, são também a cobertura e o glacê. Por meio delas que sua empresa irá se espalhar pela internet, distribuindo bom conteúdo e possibilitando interação entre empresa e cliente. Por isso, quando começar a utilizar o SitePX, lembre-se destes três passos: criar um site, criar um blog e colocar sua marca nas mídias sociais.

Um marketing não elimina o outro

Estratégias de marketing são fundamentaisÉ importante observar que, diferente do marketing tradicional, o Inbound Marketing não busca retorno imediato. O novo marketing é baseado na criação de reputação e aumento do valor de sua marca. Caso exista a necessidade de um retorno rápido, algumas das velhas estratégias de marketing tradicional podem vir a calhar. Só evite que sua empresa seja tomada pelo excesso de publicidade e agressividade das campanhas.

Não deixe, porém, de estudar a implantação de boas estratégias de Inbound Marketing para a sua empresa. Esta nova área é muito mais condizente com o público da geração atual e, com certeza, gerará bons frutos para sua marca.

Enquanto isso, continue acompanhando o blog SitePX e leia os textos anteriores para mais dicas de como criar um site, produzir conteúdo e viver neste mundo à parte que é a internet.

Categoria: Conteúdo
Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left tsN b01e fwR bsd show|left fwR tsN show|bnull||image-wrap|news login c05|fsN fwR normalcase tsN|c05|login news fwR normalcase|tsN fwR normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||