Deslizes de português que podem prejudicar seu negócio

Publicado por em 06/02/2015 às 10h49

típico erro de português

O português é uma língua extremamente bela, porém famosa por um conjunto grande de regras e conjugações que geram bastante confusão para aqueles que não nasceram falando nativamente a língua originária de Portugal. Porém, tropeções na gramática e ortografia podem ficar muitos feios para nós, nativos e residentes do Brasil. A situação fica ainda pior quando este brasileiro está representando uma empresa ou empreendimento. Nesses casos os erros podem afetar gravemente a reputação do negócio para o consumidor.

O que é um site se não um espaço repleto de informações em forma de texto? Ao criar um site, é importante estar atento à grafia correta. Caso vá trabalhar com vídeos, por exemplo, o português será pesado na fala de atores, apresentadores e narradores. Pensando nisso, o SitePX fez uma seleção de erros comuns que podem ser facilmente evitados. Vamos a eles?

  • Mim não faz nada, porque mim não é índio. Já ouviu alguém dizer essa frase? Geralmente é utilizada para repreender aqueles que usam o pronome relativo mim antes de verbos no infinitivo. Ou seja: “para mim fazer”, “para mim comer”... Cuidado! O erro pode ser aceitável para o índio, cuja língua mãe é diferente da nossa. Porém, para falantes nativos do português, fica inaceitável o uso incorreto dos pronomes. O certo, pela norma culta, seria substituir o pronome relativo pelo pronome pessoal eu. A forma correta seria, então, “para eu fazer” ou “para eu comer”.
  • Masculino ou feminino, eis a questão. De um ponto de vista pessoal, esse questionamento pode gerar discussão. No que diz respeito à gramática, isso não existe. Ou é masculino ou feminino. Mas existem algumas palavras cujos gêneros são constantemente confundidos. Grama, por exemplo, é um caso comum. Enquanto a vegetação rasteira é feminina (a grama), a unidade de medida de massa é uma palavra no masculino (o grama). Por isso, pedir “quinhentas gramas de presunto” é um erro! O correto seria “quinhentos gramas”. O mesmo acontece com o substantivo dó, sinônimo de pena. É muito comum ouvir alguém falar “dá uma dó” enquanto o certo seria “dá um dó”.
  • Mas ou mais? Essa confusão gera um erro que fica muito feio em um texto. Nunca diga “até iria mais estou atrasado”! O mais é utilizado para indicar adição. “Um mais um é dois”, “vou fazer mais bolo”, são exemplos corretos da uso da expressão. Já o mas indica adversidade, “faria isso mas não posso”.
  • Não se perca na distinção entre perca e perda. Enquanto o primeiro é um verbo conjugado nas primeira e terceira pessoas do presente do Subjuntivo ou na segunda pessoa do Imperativo. O segundo é um substantivo derivado do verbo perder. Um exemplo do primeiro: “é importante que ele perca esse hábito de escrever errado”. Um exemplo do segundo: “o cachorro foi a primeira grande perda do menino”. Simples assim, não é?
  • Às vezes o problema é na fala, algumas palavras não costumam ser grafadas erroneamente, porém na pronúncia são frequentemente confundidas. Um exemplo recorrente é a palavra gratuito (assim como circuitoe intuito) que, muitas vezes, é pronunciada com ênfase na sílaba errada. Você fala ou costuma ouvir pessoas falando “gra-tu-Í-to”? É bem comum em propagandas na televisão. Acontece que o certo é pronunciar “gra-TÚi-to”. A mesma coisa para circuito e intuito.

SitePX dá aula de português

Você não precisa cuidar disso sozinho

É certo que não se deve menosprezar o uso correto da língua, mas também não é necessário deixar de produzir conteúdo por não estar seguro do seu domínio. A maioria dos erros pode ser identificada após uma segunda leitura feita por você mesmo ou por outra pessoa. É recomendável contratar um revisor profissional para identificar até mesmo o menor dos erros. Não precisa ter vergonha disso, todos os grandes produtores de conteúdo contratam revisores. Ou você acha que redatores de jornais e revistas nunca erram?

Ler bastante também ajuda. Com o hábito da leitura, é possível fixar na cabeça as normas e grafias corretas sem, necessariamente, estudá-las separadamente. Claro, no entanto, que o estudo é bem-vindo!

Com essas dicas, já é possível começar a erradicar alguns deslizes do seu vocabulário! Lendo, estudando e pesquisando, logo será possível escrever e falar o português perfeito, ou algo próximo a isso. Durante esse processo, continue acompanhando o Blog do SitePX para mais dicas de empreendedorismo, marketing e como criar um site de sucesso!

Categoria: Conteúdo
Tags: blog, como criar um site, conteúdo, dicas, SitePX

voltar para Dicas para criar um site

left show tsN fwR fsN|left tsN b01e fwR bsd show|left fwR tsN show|bnull||image-wrap|news login c05|fsN fwR normalcase tsN|c05|login news fwR normalcase|tsN fwR normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||