Marketing Digital

Como fazer contatos importantes responderem seu e-mail

Publicado por Júlio Rocha em 04/09/2015 às 15h22

e-mail mkt

Existente desde os primórdios da internet, a comunicação via e-mail é uma das principais dos tempos modernos, seja para conversas pessoais, trabalhar e-mail marketing ou fazer propostas comerciais. Neste espaço do SitePX já foram dadas várias dicas de como fazer e-mail marketing profissional e que dê resultado. O post de hoje, então, é voltado para você que já sabe como criar um site e, agora, busca novas parcerias e oportunidades através dos contatos profissionais por e-mail.

Assim como nos contatos pessoais, há uma série de fatores que podem levar a sua proposta a ser aceita ou não. E, muitas vezes, todo o contato pode ser prejudicado por uma má primeira impressão. Para evitar que você, empreendedor digital, perca boas oportunidades por causa de e-mails, eis a lista de pontos para levar em consideração ao começar a mandar e-mails em busca de parcerias e oportunidades profissionais, garantindo que seus e-mails sejam respondidos:

  1.        e-mail marketingAperfeiçoe o título do e-mail – o primeiro contato da sua mensagem com o destinatário será aquele campo denominado “assunto”. Desta forma, é preciso conquistar a atenção da outra pessoa já nesse momento. Existem duas estratégias que podem atrair o interesse: curiosidade e utilidade. Se for possível, combinar os dois é o ideal.
  2.        Conte porque você o escolheu – estudos apontam que quem recebe uma proposta sem exatamente definir que função ganharia na parceria não sente que possui uma responsabilidade no projeto, e, com isso, possui mais chances de recusar a parceria. Por isso, é necessário deixar bem claro que você precisa de seu destinatário. E, ainda, a massagem no ego pode deixá-lo mais propício a aceitar.
  3.        Mostre que fez o dever de casa – ao fazer o contato com seu futuro parceiro profissional, mostre que você sabe sobre o que ele tem feito – especialmente e termos de produção de conteúdo – e, também, a situação atual do mercado. Fazer perguntas que poderiam ser respondidas com um rápido procura no Google passará uma imagem ruim.
  4.        O incomum em comum – pode parecer um tópico estranho, mas segundo psicólogos, ao ressaltar que você e seu destinatário possui um gosto ou opinião incomuns em comum ajuda a criar uma relação de identificação. Sabe a alegria de descobrir que mais alguém se encanta com aquela música que só você gosta? Exatamente! Conheça bem a pessoa que vai receber a mensagem e saiba como criar essa relação instantânea com ela.
  5.        Seja claro, direto e educado ao pedir alguma coisa – nada pode incomodar mais uma pessoa do que a sensação de estar sendo enrolado. Então, nada de e-mails gigantes e superdetalhados. Seu destinatário sabe que você espera algo dele, não precisa fingir. Por isso, seja bem claro e direto ao dizer porque ele é necessário para o seu negócio. Mas faço isso, é claro, de forma educada, sempre elogiando o trabalho e seguindo os outros passos da lista.

Fazer dinheiro e construir uma carreira na internet vai além da produção de conteúdo e criação de sites. É fundamental buscar parcerias para poder crescer e abrir novas oportunidades empreendedoras. Se quiser mais dicas de como fazer isso e como criar um site de sucesso, continue seguindo o SitePX!

Categoria: Como atrair clientes, Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

7 dicas para conquistar clientes com e-mail marketing

Publicado em 27/07/2015 às 15h58

e-mail mkt

Quando a internet se popularizou entre os brasileiros e todos os internautas passaram a gerenciar uma conta de e-mail, logo empreendedores inexperientes perceberam que o e-mail marketing poderia ser uma eficaz forma de anunciar e fazer propaganda. Infelizmente, a falta de preparo e cuidado dos marqueteiros da época fez com que os internautas enxergassem todo e-mail marketing – tanto os bons quanto os ruins – como Spam.

A situação, no entanto, está mudando! Quando a poeira dos e-mails desagradáveis começou a abaixar – ainda que eles continuem existindo – consumidores começaram a dar novas chances a essa forma direta de comunicação. Então, aqueles que souberem utilizar o e-mail marketing de forma instrutiva e agradável estarão estrategicamente com vantagem. Pensando nisso, o SitePX compartilha as dicas mais fundamentais para garantir que o internauta abra o seu e-mail!

  1. Variação – Não manda o mesmo e-mail todos os dias para as mesmas pessoas! Para começar, isso diminui a cara de e-mail automático, o que aumenta as chances de que o internauta o abra. E, ainda, mostra para o usuário que você tem coisas novas para oferecer. Lembre-se: a variação começa já no título!
  2. Menos é mais! – Com a rotina atribulada dos internautas do século XXI, dificilmente alguém vai parar para ler um e-mail longo, ou que pareça longo. Fale sempre de forma curta e direta e quebre a linha do texto a cada 50 caracteres (mais ou menos) para evitar que linhas enormes assustem o leitor.
  3. e-mail marketingQuem é o remetente – Cuidado para não deixar o nome do remetente gigante ou cheio de caracteres estranhos. Mantenha sempre o padrão de um nome e um sobrenome ou o nome da empresa, mas sem frases publicitárias e slogans. Há quem acredite que usar o nome da empresa seja melhor pelo branding, há quem diga que usar um nome próprio dá uma personalidade positiva para o remetente. Vale a pena experimentar para ver qual funciona melhor com seu público.
  4. Perguntas irresistíveis – Os títulos que mais atraem cliques são aqueles com a melhor promessa para os clientes. Ao perguntar, por exemplo, se o consumidor que a solução para um problema (que a sua marca possa resolver, é claro), você faz com que ele perceba a existência do problema e, sim, queira resolvê-lo. Só não faça isso de forma desagradável, com vários pontos e todas as letras em caixa alta.
  5. Cuidado com o Spam – Graças aos marqueteiros do começo do século, algumas palavras que foram usadas de forma exagerada entraram para a lista negra dos filtros de e-mail. Dessa forma, evite palavras clássicas da publicidade do tipo “grátis”, “ganhe”, “promoção”, “doe”... É difícil citar todas pois cada filtro possui sua lista, mas essas geralmente são unânimes.
  6. Tom pessoal – Independente de qual seja o nome que assine o e-mail, evite passar a sensação de ser uma empresa falando com um cliente. Um conversa de igual para igual é muito mais atraente. Não tenha medo de falar em primeira pessoa e de chamar o consumidor pelo nome ou por pronomes pessoais como “você”.
  7. Esteja pronto para responder – Pode ser que alguns clientes queiram responder o e-mail para tirar dúvidas, elogiar ou fazer reclamações. Caso isso acontece, responda! De forma educada, pessoal e prestativa para que o internauta sinta que há uma pessoa de verdade por trás da máquina.

Vale lembrar que a média de respostas de um e-mail marketing pode parecer pequena! Caso envie, por exemplo, mil e-mails, fique feliz com duzentas respostas. Lembrando, é claro, de sempre se esforçar para conseguir mais. E para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, continue acompanhando o SitePX!

Categoria: Marketing Digital
Compartilhar

Como fazer dinheiro com Marketing de Conteúdo – parte 2

Publicado por Júlio Rocha em 22/07/2015 às 15h43

marketing de conteúdo

Como mencionado na primeira parte, a explosão do surgimento de produtores de conteúdo da internet – com diferentes níveis de qualidade – é uma oportunidade única para aquele que pratica o bom Marketing de Conteúdo se destacar entre a multidão. O primeiro passo, como você já deve saber, é entender a própria empresa e delinear suas diretrizes de ação. Afinal, criar um site de sucesso não é só boa vontade, envolve estratégia e preparo também!

Nesta segunda parte, é hora aprender como colocar sua estratégia em prática. Dando sequência aos seis passos fundamentais delineados pelo Content Marketing Institute, agora você entenderá como que aumentar o conhecimento sobre sua empresa e público é fundamental para traçar uma estratégia eficaz!

Marketing de Conteúdo se faz com estratégia

Para lembrar rapidamente o conteúdo do texto anterior: você já encontrou sua zona de conforto, já definiu qual característica destaca seu textos dos demais e documentou qual será sua mídia principal e foco do conteúdo. A questão agora é: o que fazer com isso tudo?

  1.        conteúdoCultivando a audiência – Você já conseguiu encontrar seu nicho, seu diferencial e escolheu o veículo que melhor se adequa ao seu perfil. Agora o objetivo é fazer com que cada visitante novo de seu site queira voltar. Mais de uma vez. É aqui que você começa a trabalhar as várias técnicas de redes sociais e SEO diversas vezes abordadas aqui no próprio SitePX. E sabe qual métrica você vai usar para medir o sucesso do seu conteúdo? A captação de e-mails! Os maiores produtores de conteúdo do mundo agora estão mais preocupados em cultivar uma base fiel de leitores via e-mail do que qualquer outra coisa. Há quem defende que você só comece a tentar realizar vendas quando tiver uma base de pelo menos alguns milhares de e-mails!
  2.        Diversificação – Agora que o seu modelo base já está dando resultado e fidelizando público internet afora, é hora de diversificar e conquistar consumidores em outras mídias. Tome como exemplo o caso da ESPN. No ano de sua inauguração, 1979, a emissora era unicamente um canal de tevê a cabo voltado para programação esportiva. Essa é a sua base. Em seus 40 anos de história, no entanto, a empresa cresceu e passou a dominar o mundo das rádios, websites, revistas impressas, redes sociais e ainda mais. Hoje, a empresa é referência em conteúdo esportivo em todo o mundo.
  3.        Monetização – Quando você já tem sua base definida e até teceu alguns fios extras de sua teia de comunicação, é hora de fazer dinheiro! Nessa altura do campeonato, você provavelmente já sabe todas as informações demográficas necessárias para começar a descobrir formas de monetizar seu conteúdo. Você pode vender consultoria, ebooks, softwares, seu próprio serviço e aquelas que você sentir que são as necessidades e desejos de seu cliente na internet. A relação de confiança e fidelidade já foi construída, pode ter certeza de que a boa vontade por parte dos clientes é grande.

Não é tão difícil! Com esses seis passos divulgados nos dois últimos posts do SitePX, você aprende como fazer dinheiro com Marketing de Conteúdo, seguindo as mesmas diretrizes que os maiores profissionais do mercado em todo o mundo. E para mais dicas quentes como estas, basta seguir o SitePX e aprender tudo o que precisa sobre empreendedorismo e como criar um site de sucesso!

Categoria: Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

Como fazer dinheiro com Marketing de Conteúdo – parte 1

Publicado por Júlio Rocha em 20/07/2015 às 15h38

marketing de conteúdo

Publicar conteúdo nunca foi tão fácil. Por consequência, nunca houve tanta gente produzindo ao mesmo tempo. O que poderia ser um cenário de concorrência sufocante é, na verdade, uma bela oportunidade para quem pratica o Marketing de Conteúdo.  Se a oferta de conteúdo pode estar prestes a superar a demanda, o mesmo não pode ser dito do BOM conteúdo. Sim, há muita gente oferecendo porcaria, ou até se esforçando, mas falhando na hora de definir uma boa estratégia.

Uma análise lançada recentemente pelo Content Marketing Institute, levando em conta os principais produtores de conteúdo da internet atual, apontou que todos os grandes formadores de opinião têm seguido uma estratégia de seis passos, que são suficiente para separar o produtor profissional do “sobrinho com um computador e internet”. Com essas seis dicas originais, embasadas em casos de sucesso, o seu marketing de conteúdo não será mais o mesmo e fazer dinheiro será um futuro próximo.

Para fazer Marketing de conteúdo, conheça a si mesmo

Os três primeiros passos apontados pelo Content Marketing Insitute (CMI) envolvem o autoconhecimento do produtor de conteúdo – ou da empresa. Entender o que você pode oferecer é o primeiro passo para entender o que o público espera de seu conteúdo.

  1.        marketing de conteúdoEncontre o “cantinho doce” – Sim, “cantinho doce” é um péssimo nome, mas é a tradução literal do termo sweet spot, definido pelo CMI como o primeiro passo fundamental para dominar o marketing de conteúdo. Segundo o Instituto, esse cantinho é a interseção entre a sua especialidade e a sua paixão no mundo empreendedor. Utilizando o SitePX como exemplo, a especialidade seria a criação de sites e a paixão é o empreendedorismo. Dessa forma, o conteúdo base do SitePX é a aplicação das técnicas empreendedoras para criar um site de sucesso. Tendo esse ponto definido, faço o possível para trabalhar dentro dele.
  2.        Tilt no conteúdo – O que há de diferente no seu conteúdo que nenhum outro concorrente pode oferecer? Para exemplificar, conheça – se já não o conheceu antes – Claus Pilgaard. O músico dinamarquês ficou famoso em toda a internet por demonstrar conhecimento e apreciação pelos mais variados tipos de pimenta e música erudita. Até então, Claus tinha descoberto um sweet spot (que é mais ardido do que doce). No entanto, enquanto a maioria dos apreciadores de pimentas costuma falar sobre a ardência dessas especiarias, Claus percebeu que seria pioneiro se soubesse falar da pimenta da mesma forma que especialistas falam sobre vinho! Esse ponto único é o tilt de Claus. Descubra qual é o seu!
  3.        Construindo a base – Quando você já definiu qual é a sua área e, também, qual é o seu tilt especial sobre esse conteúdo, é preciso definir por onde começar a atacar. Para construir essa base, é necessário responder as seguintes perguntas: qual é o tipo de conteúdo (vídeo, áudio, texto...)? Qual é o principal veículo (site, blog, YouTube...)? Qual a frequência (diária, semanal, mensal...)?

Ao pensar sobre esses pontos e começar a definir suas diretrizes, anote tudo em um pedaço de papel, documento do word ou qualquer outra ferramenta de preferência. Essas são as direções base que você seguirá daqui para frente. Aproveite o intervalo entre esse post e a segunda parte para definir suas diretrizes. Em breve, ensinaremos como aplicar essas definições na sua estratégia de Marketing de Conteúdo.

Continue acompanhando o SitePX para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso!

Categoria: Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

500 motivos para ler o Blog SitePX

Publicado por Gustavo Straube em 13/07/2015 às 14h35

500

Olá Amigos. É com muito orgulho que o Blog SitePX completa hoje 500 posts! Isso mesmo, são quinhentos motivos para criar um site e ficar antenado em todas as novidades do mundo digital. Por isso, o SitePX agradece imensamente a todos os leitores, visitantes e ávidos por informação. OBRIGADO!

O Blog SitePX foi idealizado para ajudar todos aqueles que querem marcar presença online com um site profissional. A plataforma SitePX oferece toda a segurança e velocidade que seu site precisa para alcançar o topo das pesquisas do Google. Você pode usar o checklist de SEO, editar seus títulos, nomear imagens, gerar conteúdo exclusivo, alterar fontes, criar seções e páginas, vender produtos e serviços online, editar o design e muito mais.

500Aprenda como criar um site, um blog, uma loja virtual em passos simples e didáticos. O SitePX tem uma interface amigável que ajuda muito todos os tipos de clientes, desde os iniciantes até os mais experientes internautas. Com simples cliques você vai conseguir ordenar seus conteúdos, adicionar mapas e formulários de contato. Funcionalidades ideais para que você crie seu site do melhor jeito possível.

No SitePX seu site é feito em camadas e fica hospedado em servidores em nuvem da AWS (Amazon Web Services) um dos maiores data centers do mundo. Se você ainda não conhece, não perca tempo crie seu site agora mesmo. Se você já conhece, aproveite e crie mais sites ou melhore o seu com as dicas do Blog SitePX.

Motivos não faltam para que você crie seu site de sucesso. E aqui no Blog damos mais de quinhentos motivos para você seguir em frente com seu site. O que está esperando, comece agora! Estaremos aqui prontos para lhe ajudar e produzindo os próximos quinhentos posts com muita qualidade e disposição. Obrigado novamente! E até o próximo post.

Categoria: Marketing Digital
Compartilhar

5 passos para conquistar os formadores de opinião

Publicado por Júlio Rocha em 10/07/2015 às 15h08

formadores de opinião

No último texto do SitePX, você aprendeu como usar os guest posts a favor da sua empresa. As dicas de hoje seguem uma linha semelhante: ter sua empresa divulgada em forma de conteúdo pelos formadores de opinião da internet. Uma das principais formas de divulgar serviços e produtos é dando a blogueiros e vlogueiros a possibilidade de experimentá-los gratuitamente.

É claro, no entanto, que há um risco de que o produtor de conteúdo não se empolgue tanto com o que você para oferecer e acabe dando opiniões negativas. O que, no fim das contas, fará o marketing inverso ao desejado. Mas, então, como garantir que essas opiniões sejam positivas? Fácil! Basta seguir os 5 passos para conquistar os formadores de opinião!

  1.        Não peça para qualquer um – É importante conhecer o perfil dos principais formadores de opinião da sua área. Veja se ele já deu opiniões sobre produtos seus – ou semelhantes – antes e qual foi a experiência que ele teve com sua marca. Caso tenha sido fortemente negativa, talvez esse não seja o blogueiro ideal para você!
  2.        formadores de opiniãoCrie um relacionamento – Continue conversando com o produtor de conteúdo e comunique-se sempre de forma pessoal. Quanto à formalidade, depende do perfil da área. Mas ser um pouco informal não faz mal a ninguém. Não deixe que toda a comunicação seja apenas o envio de material! Converse antes e depois, mande e-mails instrutivos e bom conteúdo com uma frequência grande suficiente para ser lembrado, mas que não perturbe.
  3.        Material personalizado – Mostre que o produtor que está recebendo seus produtos não é apenas mais um em uma lista automática. Chame-o pelo nome, personalize a embalagem dos presentes, garanta que a apresentação seja impecável, daquelas que só uma pessoa realmente especial receberia.
  4.        O que você quer que ele fale? – Você não tem o poder de decidir a opinião final do avaliador, mas pode dar sugestões de o que você gostaria que fosse falado. Diferenciais do produto? A ideia por trás dele? E, claro, peça que ele coloque os famosos call-to-action para facilitar o acesso dos leitores ao seu serviço.
  5.        Fique bem na foto – Evite mandar produtos que não sejam atraentes visualmente ou que não rendam boas fotos. Se possível, garanta que todos eles sejam assim. É muito provável que o produtor do conteúdo utilize fotos e vídeos para falar do seu produto. Dessa forma, é preciso ser capaz de conquistas visualmente.

Há quem recorra à solução de pagar para que sua marca seja bem falada. Pode até ser eficiente, mas não é tão saudável quanto uma opinião honesta do formador de opinião. Especialmente se ele não for bom na hora de disfarçar que possui um roteiro para falar!

Fique certo, no entanto, de que combinando um produto de qualidade exemplar com essas cinco dicas aqui apresentadas, não há dúvidas de que você será bem avaliado. Para mais dicas valiosas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, continue acompanhando o SitePX!

Categoria: Marketing Digital
Compartilhar

Tenha seus Guest Posts compartilhados pelos melhores sites

Publicado por Júlio Rocha em 08/07/2015 às 15h10

guest post

Viver de conteúdo em um ambiente concorrido e competitivo como o mundos dos blogs hoje em dia pode ser difícil. Afinal, a oferta de conteúdo pode estar superando a demanda! E é por isso que o Guest Post surge como uma excelente opção para empreendedores. Traduzindo livremente, um guest post é uma “postagem de convidado”. Ou seja, um texto seu é publicado em outro site ou blog, logicamente dando seus créditos e linkando o seu próprio site.

Além de divulgar seu site para um público maior, ter um guest post publicado em grandes sites faz com que o Google enxergue melhor o seu site. A questão é a seguinte: quanto melhor a reputação do site que publicar sua postagem, melhor será seu resultado. E como fazer com que os melhores sites queiram te publicar? É aí que entra da dica de hoje do SitePX! Saiba como ser divulgado pelos melhores sites da internet.

Quais são os melhores sites da internet?

guest postAntes de decidir ter seus textos publicados nos melhores sites, é necessário saber quais são os melhores sites! E, de preferência, os melhores sites dentro da sua própria área de atuação. Afinal, já falamos aqui no SitePX que, em termos de público, qualidade sempre supera quantidade.

Primeiro, a clássica pergunta “mas, afinal, qual é o meu público?”. Para responder a pergunta, monte uma buyer persona e lembre-se de incluir quais são os sites favoritos do consumidor que deseja atingir. Alguns desses sites são fáceis de descobrir! Se o seu público é empreendedor, o SitePX com certeza é uma boa referência para publicar guest posts.

No entanto, é preciso também utilizar ferramentas variadas para pesquisar. Muitas vezes, alguns sites com muitos acessos e público cativo não possuem nome tão famoso quanto as grandes referência. Para descobri-los, existem algumas ferramentas analíticas que ajudam bastante. Outra solução é buscar as suas palavras-chave no Google e ver os principais resultados.

Networking: aprenda a fazer um social

networkingNem precisa dizer que, acima de tudo, o conteúdo do seu guest post precisa ser exemplar, não é? Mas isso não é tudo! Boa parte do sucesso vai de escolher as pessoas e o jeito certo de pedir. E isso deve ser feito tanto no mundo digital quanto no real. O boca a boca, acredite se quiser, ainda é um grande fator na hora de decidir parceiros comerciais.

Dessa forma, esteja sempre participando de eventos, workshops, palestras e quaisquer outros acontecimentos que reúnam empreendedores da sua área de atuação. Sempre troque figurinhas, conheça novas pessoas, descubra formas de ajudar mutuamente diferentes empreendedores. Fazendo isso, é garantido que consiga alguns sites dispostos a publicar seu guest post e, quem sabe, até negociar diferentes parcerias.

Na hora de pedir, seja por e-mail ou em uma conversa de bar, saiba vender seu conteúdo. Explique para o dono do site qual é a ideia do conteúdo que deseja publicar, se possível mostre um pedaço do que já fez. E o mais importante: explique porque apenas você é capaz de produzir esse tipo de conteúdo.

Agora que já sabe como procurar e abordar os melhores sites da sua área de atuação, o que acha de começar a tentar publicar guest posts? Pode ser aquele impulso que sua empresa estava precisando! Para mais dicas valiosas, continue acompanhando o SitePX.

Categoria: Marketing Digital
Compartilhar

Native Ads: Sua publicidade aceita pelo público

Publicado por Júlio Rocha em 06/07/2015 às 11h04

native ads

Na época das redes sociais, filmes on demand e filtros de conteúdo, é muito difícil forçar o público a consumir qualquer conteúdo que não lhe chame a atenção, especialmente quando tal conteúdo é publicidade. O tempo em que não dava para fugir das propagandas passou e, agora, o consumidor só as verá se tiver vontade. E, caso se sinta forçado, é capaz de se revoltar com o anunciante. Sendo assim, como fazer sua publicidade ser efetiva?

E aí que entram os conceitos de Native Ads e publieditorial. Em um tempo em que o conteúdo é o que há de mais importante para o consumidor, essas novas formas de fazer publicidade misturam as técnicas de produção de conteúdo e propaganda de forma a não assustar usuários da internet e, ainda, fazer com que eles se interessem pelo o que sua empresa tem a dizer. Tentador, não é?

Publicidade na linguagem certa

native adsO princípio dos Native Ads – native advertising ou publicidade nativa – é fazer a comunicação publicitária usando a linguagem do veiculador do anúncio para que o consumidor veja a propaganda como parte do conteúdo. Por exemplo, a publicidade nativa do Facebook é um post patrocinado. Ao invés de um banner ou outra forma de anunciar, você pode fazer um post normal – como aqueles feitos por usuários domésticos – e fazer com que ele apareça para seu público alvo.

Falando assim, pode parecer que os Native Ads são uma forma de enganar o público o fazendo acreditar que está consumindo o conteúdo normal de sua rede social favorita. No entanto, os posts patrocinados são identificados como tal, alertando o internauta de que ele está consumindo publicidade. Mas sabe qual é a melhor parte? Ele não liga! Pois, dessa forma, não sente que o conteúdo publicitário não é invasivo e não está tentando forçá-lo a comprar alguma coisa.

É um conceito muito parecido com o do publieditorial! Alguns anunciantes perceberam que comprar uma página para anúncio em revistas já não estava funcionando tão bem. Pensando assim, pensaram “e se houvesse uma reportagem sobre minha empresa nessa revista?”.  Afinal, quem compra uma revista, compra para ler suas reportagens e textos opinativos. Dessa forma, estariam mais confortáveis com a ideia de consumir a informação oferecida pela empresa.

Sem conteúdo não adianta

native adsJá foi mencionado nesse texto que o consumidor não gosta de se sentir enganado. Por isso, não adianta jogar qualquer conteúdo e esperar que dê resultado. Subestimar os clientes é muito perigoso e pode resultar em total rejeição. Ao fazer um post patrocinado no Facebook, por exemplo, não use a clássica linguagem de vendedor “compre já” e afins. Seduza o leitor com uma boa imagem, ofereça a solução para seus problemas – mesmo que até então ele não soubesse que havia um problema para ser solucionado.

O mesmo vale para o publieditorial. Se todo o texto for uma mensagem de marketing sem nenhuma informação diferente o mais provável é que o consumidor avance algumas páginas da revista ou procure outro post no blog em questão. É importante despertar o interesse do consumidor, e a melhor forma de fazer isso é garantir que o leitor crie identificação com o conteúdo. Sempre, é claro, deixar claro que a sua marca irá resolver seus problemas e ajudá-lo a atingir seus objetivos.

Já sabe, então, como fazer com que seu leitor queira consumir seu conteúdo? Para mais dicas, basta continuar seguindo o SitePX e receber o que há de melhor sobre empreendedorismo e como criar um site de sucesso!

Categoria: Conteúdo, Marketing Digital
Compartilhar

Copywriting, saiba como utilizá-lo

Publicado por Júlio Rocha em 01/07/2015 às 14h04

copywriting

Antes de começar a explicar o passo a passo de como definir as estratégias de Copywriting, é importante ressaltar para leigos e esquecidos a definição do conceito! Basicamente, o Copywriting é parte integrante das estratégias de SEO, ou seja, do processo de fazer com que o Google possa encontrar seu site nas buscas e também para atrair clientes e gerar melhores iscas digitais. Algo que, não precisava nem dizer, é fundamental para quem pretende criar um site de sucesso.

Dentro de todas as estratégias de SEO, o Copywriting é aquela que concerne se o conteúdo é atraente ou não. Não basta ter um bom material e polvilhar palavras-chave se a forma não atrai o olhar e a atenção do internauta. Dessa forma, as técnicas de SEO compreendem principalmente títulos e o conteúdo de banners e imagens de divulgação. Mas, agora que o básico está esclarecido, hora do passo a passo!

Dicas para um Copywriting perfeito

  1.        Identifique seu destinatário – Você sabe com quem está falando? Ou melhor, você sabe com quem você DEVE estar falando? É importante ter em mente o público exato para o qual a empresa dirige seu conteúdo.
  2.        As melhores palavras-chave – Existe uma série de programas para te ajudar a selecionar as palavras-chave que devem ser utilizadas pela sua empresa, pode testar o próprio Google ou o SEMrush.
  3.        Variação de palavras-chave – É fundamental trabalhar as palavras genéricas de sua área de atuação. Mas também inteligente trabalhar palavras-chave específicas que vão pegar o consumidor na hora da compra! Por exemplo, além de trabalhar a palavra “clínica de odontologia”, é interessante que um dentista trabalhe “tratamento de canal”.
  4.        Palavra-chave na chamada apelativa – Apelativo no bom sentido! Sempre trabalhe a palavra-chave da vez nos títulos e sempre busque um títule que desperte curiosidade e a vontade do internauta de consumir o seu conteúdo.
  5.        Primeiro parágrafo com tudo – As primeiras 50 palavras do texto – ou seja, o primeiro parágrafo – devem conter as principais palavras-chave e todos os pontos de destaque do conteúdo. É preciso convencer o leitor a ir além das primeiras palavras!
  6.        copywritingSimples e curto – Os títulos, assim como o texto, devem sempre ser curtos, simples e diretos. Muitas das visualizações viram de dispositivos móveis, por exemplo, em situações em que o leitor tem pouco tempo para digerir informações.
  7.        SEO não é brincadeira – O Google possui fortes filtros contra spam e espertinhos. Então, sempre escreve pensando primeiro em agradar o leitor e só depois em agradar o Google.
  8.        Literatura é para os livros – Não cabe aqui debater os gostos literários dos leitores do século XXI, mas é importante ficar claro que na internet todos querem simplicidade. Deixe a linguagem rebuscada para outro lugar!
  9.        Cuidado com a densidade – No SitePX, há sugestão de manter a densidade de palavras-chave em até 7%. E esse limite não é brincadeira! O Google considera densidades muito altas como spam. Mas saiba que eles aceitam sinônimos muito bem!
  10.    Bom humor – Faça humor rápido nas chamadas e no decorrer do texto! Tiradas simples e referências culturais populares dão leveza ao conteúdo e agradam o público.
  11.    Use tópicos – Além de facilitar a leitura, permite que palavras-chave sejam trabalhadas em outros espaços.
  12.    Tom pessoal e assinatura – Consumidores na internet gostam de textos que conversem e deixem abertura para interação. Além disso, encerrar textos com uma assinatura ou despedida padrão dá espaço para trabalhar mais uma palavra-chave.
  13.    Revisão – Antes de reler o texto para revisar, dê uma pausa. Tome um café. Para identificar erros é necessário um pouco de distanciamento.

Achou que são muitos passos? Mas não são! Pode ver que é tudo muito fácil aí. Qualquer dúvida, é claro, pode ser tirada aqui mesmo no SitePX. Não precisa nem ser uma dúvida sobre Copywriting, o SitePX tem as melhores dicas sobre empreendedorismo e como criar um site de sucesso.

Categoria: Marketing Digital
Compartilhar

Como contar a jornada do herói no marketing de conteúdo

Publicado por Júlio Rocha em 26/06/2015 às 14h23

herói
Como já falamos aqui no SitePX, existe um conceito chamado storytelling, que é um recurso utilizado para criar identificação e um ele emocional com o consumidor. Para o marketing de conteúdo, então, contar uma história é uma estratégia eficaz. No entanto, para garantir a eficácia, é necessário contar bem a história. E é aí que entra a Jornada do Herói.

A Jornada do Herói é parte da teoria do acadêmico americano Joseph Campbell, que estudava mitos e histórias criadas pelo homem. Segundo Campbell, toda história segue um padrão inidentificável e relacionável pelo leitor. O arquétipo da Jornada do Herói é utilizado em diversas tramas famosas (como o Hobbit, o Senhor dos Anéis, Matrix, Star Wars...) e pode, também, ser utilizada para conquistar clientes na internet. Para facilitar, segue o passo a passo da Jornada do Herói:

  1.        Seu cliente é o herói – crie um herói que pode causar identificação em seu cliente. Seu herói pode ser, por exemplo, uma buyer persona. Vamos pegar como exemplo, então, o Afonso! O Afonso é um empreendedor, assim como você, leitor do SitePX!
  2.        Seu herói possui uma aventura – se em “O Hobbit” Bilbo Bolseiro parte com os anões para resgatar um tesouro, a aventura de Afonso é um pouco mais próxima do nosso mundo. Afonso quer aumentar as vendas de seu negócio.
  3.        heróiO herói resiste – ao se deparar com a possibilidade de iniciar a aventura, o herói primeiro resiste. É necessário convencê-lo de que é necessário sair da zona de conforto para conquistar grandes recompensas.
  4.        Obstáculos – não haveria lição, no entanto, se não houvesse obstáculos. Para completar sua aventura e chegar à recompensa (que é o aumento nas vendas), Afonso precisa superar um desafio: a concorrência competitiva.
  5.        Você é o mentor – o que seria de Bilbo sem o Gandalf? O que seria de Afonso sem o SitePX? Seu herói precisa encontrar um mentor (no caso, a sua marca!) para que este possa ensiná-lo o caminho para superar os obstáculos.
  6.        Hora de se preparar para mudanças – assim com Bilbo percebe que precisa deixar de lado o egoísmo e a covardia, seu herói deve aprender – com ajuda do mentor – que é necessário mudar algumas atitudes e comportamentos para superar barreiras. Ou seja, Afonso precisa criar um site e começar a praticar o marketing digital para superar a concorrência!
  7.        A superação – chega o grande conflito no fim da história! Todo o esforço e o aprendizado durante a jornada de marketing digital praticada por Afonso culminaram no sucesso. Afonso foi capaz de superar a concorrência e se tornar líder no mercado.
  8.        A volta para casa – assim como Bilbo, Afonso poderá retornar para casa (metaforicamente, é claro) levando consigo toda a riqueza material e intelectual que adquiriu durante a jornada.

Obviamente, neste caso passamos com poucos detalhes sobre a história do herói Afonso. O que é necessário lembrar é que estes são os passos obrigatórios que o personagem de seu storytelling deve passar. Seja ele real ou não!

Quanto à mídia, a Jornada do Herói funciona muito bem em texto e em vídeo, especialmente o segundo. O que importa mesmo é que deve-se ressaltar que o herói é o cliente e não a marca. A sua empresa será como o Gandalf, Obi-Wan Kenobi ou Morpheus – o mentor mais poderoso e experiente que conduzirá o herói à recompensa no fim da jornada.

Para mais dicas de empreendedorismo e como criar um site de sucesso, basta deixar o SitePX te guiar em sua jornada!

Categoria: Marketing Digital
Compartilhar

left show tsN fwR fsN|left tsN b01e fwR bsd show|left fwR tsN show|bnull||image-wrap|news login c05|fsN fwR normalcase tsN|c05|login news fwR normalcase|tsN fwR normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||