O público não gosta de publicidade? Tente o conteúdo!

Publicado por em 17/04/2015 às 13h36

content marketing
A publicidade em vídeos, páginas e e-mails é um ponto controverso da internet atualmente. Por um lado, as marcas precisam se divulgar e os veículos precisam arrecadar. Por outro, a internet chegou para o público doméstico com uma promessa de liberdade cujo cumprimento a propaganda obrigatória dificulta. Quando o consumidor finalmente conseguiu escapar das propagandas de TV, rádio e jornal ainda há quem insista em retroceder aos anúncios obrigatórios?

O plug-in Adblock, por exemplo, é um dos mais instalados atualmente justamente por impedir que anúncios indesejados – no caso, todos eles – sejam abertos pelo navegador. Não à toa, os anunciantes e veículos publicitários estão perdendo cabelo na tentativa de determinar uma estratégia para evitar que o internauta passe direto pela publicidade. Mas seria esse o caminho ideal?

A solução é o marketing de conteúdo

E se alguém dissesse que é possível não apenas levar sua marca para o público, mas, também, fazer com o que o público a procure? Não precisaria chamar o sujeito em questão de louco ou sonhador, pois, de fato, isso é uma realidade. É preciso, apenas, entender que o internauta não quer um vendedor virtual o seguindo em todas as páginas que acessa. O presente é a opção, o direito de escolher o que ver, ler ou assistir.

Este é o momento, então, em que o bom empreendedor começará a praticar o marketing de conteúdo. É hora de tornar a marca ou empresa algo além de uma solução para alguma necessidade momentânea do consumidor, é preciso se tornar referência. Produzindo bom conteúdo, seja em vídeo, texto, imagem ou qualquer outro formato que domine, a marca consegue angariar uma legião de seguidores fiéis. E como fazer isso? Confira os primeiros passos:

  • marketing de conteúdo

    Ganhe permissão – É importante entender que o conteúdo é feito para o público, não para a empresa. Ao acessar bons conteúdos de determinada empresa ou marca, o internauta irá, aos poucos, dando permissão ao produtor de conteúdo para compartilhar seu trabalho em suas redes sociais e e-mail, por exemplo.
  • Saiba o que eles querem – Usando ferramentas como o Google Analytics, o produtor possivelmente irá perceber que uma pequena parcela de conteúdo possui desempenho muito maior do que a maioria. No entanto, isso não é algo negativo. Quer dizer, apenas, que é esse o conteúdo que o público da empresa procura. Dessa forma, é possível moldar as próximas publicações para satisfazer as expectativas do leitor.
  • Saiba usar os dados do consumidor – Hoje em dia é muito fácil conseguir informações dos internautas. Inclusive, é bem recomendado que empresas utilizem essa possibilidade para montar estratégias de marketing digital. O cliente, porém, sentirá que teve sua privacidade invadida caso a marca demonstre saber demais sobre sua vida. E, caso utilize recursos que chamem o consumidor pelo nome, é importantíssimo que não o chame pelo nome errado.
  • Sete segundos – Sete segundos é o tempo que o cliente leva para decidir se vai ou não dar atenção ao conteúdo. Para garantir que sim, é preciso apresentar apelo visual ou, pelo menos, uma chamada atraente.

Um reforço da importância do conteúdo no mercado atual: o público de televisão americano está deixando de assistir a programação ao vivo para assisti-la mais tarde podendo pular a publicidade. A internet vive uma era em que não tem jeito, o consumidor não aceita propaganda enfiada goela abaixo, é preciso ganhá-los com bom conteúdo.

Categoria: Conteúdo
Tags: anúncios, internet, marketing de conteúdo, publicidade, SitePX

voltar para Dicas para criar um site

left show tsN fwR fsN|left tsN b01e fwR bsd show|left fwR tsN show|bnull||image-wrap|news login c05|fsN fwR normalcase tsN|c05|login news fwR normalcase|tsN fwR normalcase|normalcase fwR c05|content-inner||